Mais da metade dos orelhões do Brasil será desativada

Foto: Camila Souza/ GOVBA
Operação Brasil Integrado realiza prisões em Salvador
4 de setembro de 2014
Foto: Rafael Ribeiro / CBF
Em coletiva de imprensa Dunga confirma Neymar como capitão da seleção brasileira
4 de setembro de 2014
848
Compartilhe
Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

04/08/2014 – Brasil – Mais da metade dos orelhões que estão espalhados pelo Brasil desaparecerá, segundo decisão da Anatel. Sob justificativa de que os telefones são pouco utilizados e não geram receita que os banque, a agência decidiu eliminar 461,3 mil unidades – 60% dos 763 mil existentes. A gerente de universalização da Anatel, Karla Crossara, disse ao Convergência Digital que 81% dos orelhões realizam até quatro chamadas diárias, em média, por um tempo total de quatro minutos, o que corrobora a tese de que as pessoas estão deixando os telefones públicos para trás – afinal, são 120 minutos por mês.

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas