6ª Semana dos Povos Indígenas

Tempestade vista da estação espacial
15 de abril de 2018
– Presidente Gentiloni à Sala Galeoni para declarações sobre a Síria.
15 de abril de 2018
1776
Compartilhe

Está quase tudo pronto para a 6ª Semana dos Povos Indígenas, que começa neste domingo (15), em São Félix do Xingu, no sudeste do Pará. Antes de sair das aldeias em direção a São Félix – o terceiro maior município paraense em extensão territorial, atrás apenas de Altamira e Oriximiná –, as tribos fazem festa, numa espécie de preparação para os dias vindouros longe de casa. Na aldeia Krôkamôr, às margens do Rio Xingu e longe cerca de oito horas de barco da sede municipal, homens, mulheres e crianças Kayapó se unem na dança Kwyrykangô.

Está quase tudo pronto para a 6ª Semana dos Povos Indígenas, que começa neste domingo (15), em São Félix do Xingu, no sudeste do Pará. Antes de sair das aldeias em direção a São Félix – o terceiro maior município paraense em extensão territorial, atrás apenas de Altamira e Oriximiná –, as tribos fazem festa, numa espécie de preparação para os dias vindouros longe de casa. Na aldeia Krôkamôr, às margens do Rio Xingu e longe cerca de oito horas de barco da sede municipal, homens, mulheres e crianças Kayapó se unem na dança Kwyrykangô. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 15.04.2018 SÃO FÉLIX DO XINGU – PARÁ

Está quase tudo pronto para a 6ª Semana dos Povos Indígenas, que começa neste domingo (15), em São Félix do Xingu, no sudeste do Pará. Antes de sair das aldeias em direção a São Félix – o terceiro maior município paraense em extensão territorial, atrás apenas de Altamira e Oriximiná –, as tribos fazem festa, numa espécie de preparação para os dias vindouros longe de casa. Na aldeia Krôkamôr, às margens do Rio Xingu e longe cerca de oito horas de barco da sede municipal, homens, mulheres e crianças Kayapó se unem na dança Kwyrykangô. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 15.04.2018 SÃO FÉLIX DO XINGU – PARÁ

Está quase tudo pronto para a 6ª Semana dos Povos Indígenas, que começa neste domingo (15), em São Félix do Xingu, no sudeste do Pará. Antes de sair das aldeias em direção a São Félix – o terceiro maior município paraense em extensão territorial, atrás apenas de Altamira e Oriximiná –, as tribos fazem festa, numa espécie de preparação para os dias vindouros longe de casa. Na aldeia Krôkamôr, às margens do Rio Xingu e longe cerca de oito horas de barco da sede municipal, homens, mulheres e crianças Kayapó se unem na dança Kwyrykangô. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 15.04.2018 SÃO FÉLIX DO XINGU – PARÁ

Está quase tudo pronto para a 6ª Semana dos Povos Indígenas, que começa neste domingo (15), em São Félix do Xingu, no sudeste do Pará. Antes de sair das aldeias em direção a São Félix – o terceiro maior município paraense em extensão territorial, atrás apenas de Altamira e Oriximiná –, as tribos fazem festa, numa espécie de preparação para os dias vindouros longe de casa. Na aldeia Krôkamôr, às margens do Rio Xingu e longe cerca de oito horas de barco da sede municipal, homens, mulheres e crianças Kayapó se unem na dança Kwyrykangô. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 15.04.2018 SÃO FÉLIX DO XINGU – PARÁ

Está quase tudo pronto para a 6ª Semana dos Povos Indígenas, que começa neste domingo (15), em São Félix do Xingu, no sudeste do Pará. Antes de sair das aldeias em direção a São Félix – o terceiro maior município paraense em extensão territorial, atrás apenas de Altamira e Oriximiná –, as tribos fazem festa, numa espécie de preparação para os dias vindouros longe de casa. Na aldeia Krôkamôr (foto), às margens do Rio Xingu e longe cerca de oito horas de barco da sede municipal, homens, mulheres e crianças Kayapó se unem na dança Kwyrykangô. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 15.04.2018 SÃO FÉLIX DO XINGU – PARÁ

Está quase tudo pronto para a 6ª Semana dos Povos Indígenas, que começa neste domingo (15), em São Félix do Xingu, no sudeste do Pará. Antes de sair das aldeias em direção a São Félix – o terceiro maior município paraense em extensão territorial, atrás apenas de Altamira e Oriximiná –, as tribos fazem festa, numa espécie de preparação para os dias vindouros longe de casa. Na aldeia Krôkamôr, às margens do Rio Xingu e longe cerca de oito horas de barco da sede municipal, homens, mulheres e crianças Kayapó se unem na dança Kwyrykangô. Na foto, Mundico Kayapó, cacique da aldeia. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 15.04.2018 SÃO FÉLIX DO XINGU – PARÁ

Está quase tudo pronto para a 6ª Semana dos Povos Indígenas, que começa neste domingo (15), em São Félix do Xingu, no sudeste do Pará. Antes de sair das aldeias em direção a São Félix – o terceiro maior município paraense em extensão territorial, atrás apenas de Altamira e Oriximiná –, as tribos fazem festa, numa espécie de preparação para os dias vindouros longe de casa. Na aldeia Krôkamôr, às margens do Rio Xingu e longe cerca de oito horas de barco da sede municipal, homens, mulheres e crianças Kayapó se unem na dança Kwyrykangô. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 15.04.2018 SÃO FÉLIX DO XINGU – PARÁ

Está quase tudo pronto para a 6ª Semana dos Povos Indígenas, que começa neste domingo (15), em São Félix do Xingu, no sudeste do Pará. Antes de sair das aldeias em direção a São Félix – o terceiro maior município paraense em extensão territorial, atrás apenas de Altamira e Oriximiná –, as tribos fazem festa, numa espécie de preparação para os dias vindouros longe de casa. Na aldeia Krôkamôr, às margens do Rio Xingu e longe cerca de oito horas de barco da sede municipal, homens, mulheres e crianças Kayapó se unem na dança Kwyrykangô. FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG. PARÁ DATA: 15.04.2018 SÃO FÉLIX DO XINGU – PARÁ