A Aurora e o nascer do sol visto desde a ISS

Funcionários do hospital de emergência em greve na França
11 de abril de 2018
Ibama multa Anglo American em R$ 72 milhões por vazamentos no mineroduto Minas-Rio em MG
11 de abril de 2018
731
Compartilhe

“O Alvorecer bate uma festa de aurora no hemisfério sul”, disse o astronauta Ricky Arnold da imagem que ele tirou da Estação Espacial Internacional.

As auroras são um dos muitos fenômenos da Terra que a tripulação da estação espacial observa de seus poleiros acima do planeta. As luzes dançantes das auroras proporcionam vistas espetaculares, mas também captam a imaginação de cientistas que estudam a energia e partículas que chegam do nosso sol. Auroras são um efeito de tais partículas energéticas, que podem sair do Sol tanto em um fluxo constante chamado de vento solar ou de erupções gigantes conhecidas como ejeções de massa coronal ou CMEs. Depois de uma viagem à Terra que pode durar três dias, as partículas solares e campos magnéticos causam a liberação de partículas já presas perto da Terra, que por sua vez desencadeiam reações na atmosfera superior em que as moléculas de oxigênio e nitrogênio liberam fótons de luz. O resultado: as luzes do norte e do sul.

Crédito de imagem: NASA

Astronauta Ricky Arnold/NASA