Agência do Banco do Brasil atacada pelo “novo cangaço”; apreensão de 17 armas longas e 300 quilos de explosivos

Maquete de Salvador é tombada pela Prefeitura
2 de dezembro de 2020
Salvador – Testes rápidos começam a ser feitos nos bairros da Pituba e Brotas
2 de dezembro de 2020
91
Compartilhe

Cametá PA 02 12 2020 Mesmo com o fato ocorrido na madrugada desta quarta-feira (2) na cidade de Cametá, distante a 234 quilômetros da capital paraense, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup) aponta redução de 80% nos casos de roubos a agências bancárias na modalidade conhecida como “vapor” ou “novo cangaço” no Estado.
No período de 1º janeiro a 2 de dezembro deste ano, esse tipo de crime reduziu de 15 para três, se comparado ao mesmo período de 2019. Os dados destacam que as ações integradas e de inteligência estão alcançando o seu objetivo: reduzir os índices criminais. De acordo com a Segup, o que ocorreu em Cametá foi um registro pontual.

Os episódios deste ano foram registrados em Ipixuna do Pará, em janeiro, São Domingos do Capim, em abril e ontem, em Cametá. Este ano, houve ainda a prisão de 36 pessoas envolvidas em roubos a bancos na modalidade “novo cangaço”; apreensão de 17 armas longas e 300 quilos de explosivos. Todas as quadrilhas responsáveis por ações caracterizadas como “novo cangaço”, em 2019 e 2020, foram desarticuladas. A última morte registrada de transeunte ou refém durante uma ação como essa foi registrada em 2015, na cidade de São Geraldo do Araguaia. A integração entre as inteligências de cada instituição proporciona a troca de informações evitando que muitos roubos não cheguem a ser concretizados. foto Marcos Santos Ag.Pará

Marcos Santos Ag.Pará