Agricultura é responsável por quase 40% da economia do Pará

Treino do Flamengo pela manhã no Centro de treinamento George Helal
28 de julho de 2017
Treino livre do Grande Prêmio da Hungria de Formula 1
28 de julho de 2017
861
Compartilhe

28.07.2017- ANANINDEUA - PARÁ- Um desses pequenos produtores é o agricultor Alonso Silva, 72 anos. No Sítio Bom Jesus, em Ananindeua, região metropolitana de Belém, ele explora a fruticultura. Em uma área de sete hectares, planta acerola, cupuaçu, laranja, açaí, coco, abacaxi, tangerina, limão, uxi e pupunha. Alonso e a esposa, Isadora Silva (foto), 63 anos, são aposentados do Sindicato dos Produtores Rurais e hoje vivem exclusivamente do plantio, do qual tiram uma renda média mensal de R$ 1,9 mil. FOTO: CARLOS SODRÉ / AG. PARÁ

28.07.2017- ANANINDEUA – PARÁ- Um desses pequenos produtores é o agricultor Alonso Silva, 72 anos. No Sítio Bom Jesus, em Ananindeua, região metropolitana de Belém, ele explora a fruticultura. Em uma área de sete hectares, planta acerola, cupuaçu, laranja, açaí, coco, abacaxi, tangerina, limão, uxi e pupunha. Alonso e a esposa, Isadora Silva (foto), 63 anos, são aposentados do Sindicato dos Produtores Rurais e hoje vivem exclusivamente do plantio, do qual tiram uma renda média mensal de R$ 1,9 mil.
FOTO: CARLOS SODRÉ / AG. PARÁ

28.07.2017- ANANINDEUA – PARÁ- Eles são responsáveis pela maioria dos alimentos que estão na mesa dos brasileiros. Na crise, têm segurado a economia. Hoje os agricultores, cujo dia se comemora nesta sexta-feira (28), fazem parte de uma cadeia produtiva que já responde por cerca de 40% da economia do Pará. Um desses pequenos produtores é o agricultor Alonso Silva, 72 anos. No Sítio Bom Jesus (foto), em Ananindeua, região metropolitana de Belém, ele explora a fruticultura. Em uma área de sete hectares, planta acerola, cupuaçu, laranja, açaí, coco, abacaxi, tangerina, limão, uxi e pupunha.
FOTO: CARLOS SODRÉ / AG. PARÁ

28.07.2017- ANANINDEUA – PARÁ- Eles são responsáveis pela maioria dos alimentos que estão na mesa dos brasileiros. Na crise, têm segurado a economia. Hoje os agricultores, cujo dia se comemora nesta sexta-feira (28), fazem parte de uma cadeia produtiva que já responde por cerca de 40% da economia do Pará. Um desses pequenos produtores é o agricultor Alonso Silva, 72 anos. No Sítio Bom Jesus (foto), em Ananindeua, região metropolitana de Belém, ele explora a fruticultura. Em uma área de sete hectares, planta acerola, cupuaçu, laranja, açaí, coco, abacaxi, tangerina, limão, uxi e pupunha.
FOTO: CARLOS SODRÉ / AG. PARÁ

28.07.2017- ANANINDEUA – PARÁ- Eles são responsáveis pela maioria dos alimentos que estão na mesa dos brasileiros. Na crise, têm segurado a economia. Hoje os agricultores, cujo dia se comemora nesta sexta-feira (28), fazem parte de uma cadeia produtiva que já responde por cerca de 40% da economia do Pará. Um desses pequenos produtores é o agricultor Alonso Silva, 72 anos. No Sítio Bom Jesus (foto), em Ananindeua, região metropolitana de Belém, ele explora a fruticultura. Em uma área de sete hectares, planta acerola, cupuaçu, laranja, açaí, coco, abacaxi, tangerina, limão, uxi e pupunha.
FOTO: CARLOS SODRÉ / AG. PARÁ

28.07.2017- ANANINDEUA – PARÁ- Eles são responsáveis pela maioria dos alimentos que estão na mesa dos brasileiros. Na crise, têm segurado a economia. Hoje os agricultores, cujo dia se comemora nesta sexta-feira (28), fazem parte de uma cadeia produtiva que já responde por cerca de 40% da economia do Pará. Um desses pequenos produtores é o agricultor Alonso Silva, 72 anos. No Sítio Bom Jesus (foto), em Ananindeua, região metropolitana de Belém, ele explora a fruticultura. Em uma área de sete hectares, planta acerola, cupuaçu, laranja, açaí, coco, abacaxi, tangerina, limão, uxi e pupunha.
FOTO: CARLOS SODRÉ / AG. PARÁ

28.07.2017- ANANINDEUA – PARÁ- Eles são responsáveis pela maioria dos alimentos que estão na mesa dos brasileiros. Na crise, têm segurado a economia. Hoje os agricultores, cujo dia se comemora nesta sexta-feira (28), fazem parte de uma cadeia produtiva que já responde por cerca de 40% da economia do Pará. Um desses pequenos produtores é o agricultor Alonso Silva, 72 anos. No Sítio Bom Jesus (foto), em Ananindeua, região metropolitana de Belém, ele explora a fruticultura. Em uma área de sete hectares, planta acerola, cupuaçu, laranja, açaí, coco, abacaxi, tangerina, limão, uxi e pupunha.
FOTO: CARLOS SODRÉ / AG. PARÁ

28.07.2017- ANANINDEUA – PARÁ- Eles são responsáveis pela maioria dos alimentos que estão na mesa dos brasileiros. Na crise, têm segurado a economia. Hoje os agricultores, cujo dia se comemora nesta sexta-feira (28), fazem parte de uma cadeia produtiva que já responde por cerca de 40% da economia do Pará. Um desses pequenos produtores é o agricultor Alonso Silva, 72 anos. No Sítio Bom Jesus (foto), em Ananindeua, região metropolitana de Belém, ele explora a fruticultura. Em uma área de sete hectares, planta acerola, cupuaçu, laranja, açaí, coco, abacaxi, tangerina, limão, uxi e pupunha.
FOTO: CARLOS SODRÉ / AG. PARÁ

28.07.2017- ANANINDEUA – PARÁ- Eles são responsáveis pela maioria dos alimentos que estão na mesa dos brasileiros. Na crise, têm segurado a economia. Hoje os agricultores, cujo dia se comemora nesta sexta-feira (28), fazem parte de uma cadeia produtiva que já responde por cerca de 40% da economia do Pará. Um desses pequenos produtores é o agricultor Alonso Silva, 72 anos (foto). No Sítio Bom Jesus, em Ananindeua, região metropolitana de Belém, ele explora a fruticultura. Em uma área de sete hectares, planta acerola, cupuaçu, laranja, açaí, coco, abacaxi, tangerina, limão, uxi e pupunha.
FOTO: CARLOS SODRÉ / AG. PARÁ

28.07.2017- ANANINDEUA – PARÁ- Eles são responsáveis pela maioria dos alimentos que estão na mesa dos brasileiros. Na crise, têm segurado a economia. Hoje os agricultores, cujo dia se comemora nesta sexta-feira (28), fazem parte de uma cadeia produtiva que já responde por cerca de 40% da economia do Pará. Um desses pequenos produtores é o agricultor Alonso Silva, 72 anos (foto). No Sítio Bom Jesus, em Ananindeua, região metropolitana de Belém, ele explora a fruticultura. Em uma área de sete hectares, planta acerola, cupuaçu, laranja, açaí, coco, abacaxi, tangerina, limão, uxi e pupunha.
FOTO: CARLOS SODRÉ / AG. PARÁ

28.07.2017- ANANINDEUA – PARÁ- Eles são responsáveis pela maioria dos alimentos que estão na mesa dos brasileiros. Na crise, têm segurado a economia. Hoje os agricultores, cujo dia se comemora nesta sexta-feira (28), fazem parte de uma cadeia produtiva que já responde por cerca de 40% da economia do Pará. Um desses pequenos produtores é o agricultor Alonso Silva, 72 anos (foto). No Sítio Bom Jesus, em Ananindeua, região metropolitana de Belém, ele explora a fruticultura. Em uma área de sete hectares, planta acerola, cupuaçu, laranja, açaí, coco, abacaxi, tangerina, limão, uxi e pupunha.
FOTO: CARLOS SODRÉ / AG. PARÁ

São mais de 50 famílias de agricultores familiares que fornecem feijão caupi, abóbora, feijão verde, couve, cheiro verde, laranja, banana (foto), melancia, abacaxi, mamão, tangerina e temperos. Esses produtos constituem 50% do cardápio dos estudantes..
FOTO: CARLOS SODRÉ / AG. PARÁ
DATA: 27.07.2017

São mais de 50 famílias de agricultores familiares que fornecem feijão caupi, abóbora, feijão verde, couve, cheiro verde, laranja, banana (foto), melancia, abacaxi, mamão, tangerina e temperos. Esses produtos constituem 50% do cardápio dos estudantes..
FOTO: CARLOS SODRÉ / AG. PARÁ
DATA: 27.07.2017

São mais de 50 famílias de agricultores familiares que fornecem feijão caupi, abóbora, feijão verde, couve, cheiro verde, laranja, banana (foto), melancia, abacaxi, mamão, tangerina e temperos. Esses produtos constituem 50% do cardápio dos estudantes..
FOTO: CARLOS SODRÉ / AG. PARÁ
DATA: 27.07.2017

A importância da agricultura é tamanha que, das 12 cadeias produtivas inseridas no Programa Pará 2030, oito são do agronegócio, com destaque para a produção da agricultura familiar. Entres essas culturas estão mandioca, açaí, cacau, cítricos e dendê (foto), nas quais o Estado é líder ou destaque.
FOTO: CARLOS SODRÉ / AG. PARÁ
DATA: 28.07.2017

A importância da agricultura é tamanha que, das 12 cadeias produtivas inseridas no Programa Pará 2030, oito são do agronegócio, com destaque para a produção da agricultura familiar. Entres essas culturas estão mandioca, açaí, cacau, cítricos e dendê (foto), nas quais o Estado é líder ou destaque.
FOTO: CARLOS SODRÉ / AG. PARÁ
DATA: 28.07.2017

A importância da agricultura é tamanha que, das 12 cadeias produtivas inseridas no Programa Pará 2030, oito são do agronegócio, com destaque para a produção da agricultura familiar. Entres essas culturas estão mandioca, açaí, cacau (foto), cítricos e dendê, nas quais o Estado é líder ou destaque.
FOTO: CRISTINO MARTINS / AG. PARÁ
DATA: 28.07.2017
BELÉM – PARÁ

28.07.2017- MEDICILÂNDIA – PARÁ- A importância da agricultura é tamanha que, das 12 cadeias produtivas inseridas no Programa Pará 2030, oito são do agronegócio, com destaque para a produção da agricultura familiar. Entres essas culturas estão mandioca, açaí, cacau (foto), cítricos e dendê, nas quais o Estado é líder ou destaque.
FOTO: SIDNEY OLIVEIRA /AG. PARÁ

28.07.2017- MEDICILÂNDIA – PARÁ- A importância da agricultura é tamanha que, das 12 cadeias produtivas inseridas no Programa Pará 2030, oito são do agronegócio, com destaque para a produção da agricultura familiar. Entres essas culturas estão mandioca, açaí, cacau (foto), cítricos e dendê, nas quais o Estado é líder ou destaque.
FOTO: SIDNEY OLIVEIRA /AG. PARÁ

28.07.2017- MEDICILÂNDIA – PARÁ- A importância da agricultura é tamanha que, das 12 cadeias produtivas inseridas no Programa Pará 2030, oito são do agronegócio, com destaque para a produção da agricultura familiar. Entres essas culturas estão mandioca, açaí, cacau (foto), cítricos e dendê, nas quais o Estado é líder ou destaque.
FOTO: SIDNEY OLIVEIRA /AG. PARÁ

28.07.2017- MEDICILÂNDIA – PARÁ- A importância da agricultura é tamanha que, das 12 cadeias produtivas inseridas no Programa Pará 2030, oito são do agronegócio, com destaque para a produção da agricultura familiar. Entres essas culturas estão mandioca, açaí, cacau (foto), cítricos e dendê, nas quais o Estado é líder ou destaque.
FOTO: SIDNEY OLIVEIRA /AG. PARÁ