Alimentação saudável é forte aliada na prevenção e controle da diabetes, no Pará

Vasco e Atlético-MG fica no 1×1 em São Januário
16 de novembro de 2017
Michel Temer na Abertura da Semana Global do Empreendedorismo
16 de novembro de 2017
746
Compartilhe
Há três anos, o servidor público Edson Vieira da Conceição, 62, não se preocupava com o estilo de vida que levava. Além de ser sedentário, na sua alimentação era comum o consumo de refrigerantes, doces e alimentos gordurosos. Mas tudo isso precisou mudar quando foi diagnosticado com diabetes tipo 2, aos 59 anos de idade. Para controlar a doença que afeta mais de 16 milhões de brasileiros, segundo o Ministério da Saúde, Edson mudou sua alimentação e adotou a prática de atividade física regularmente, além de tomar medicamentos orais duas vezes ao dia. “Para conviver com a diabetes é preciso ter disciplina, fazer exercícios físicos, tomar as medicações todos os dias, evitar o açúcar e quando consumir alimentos doces, deve ser de forma equilibrada, sem exagerar”, explica Edson Viera, servidor público do Instituto de Assistência dos Servidores do Estado do Pará (Iasep). Na foto, saladas naturais. FOTO: MARCO SANTOS / USP IMAGENS DATA: 09.05.2012

Projeto “Vida Ativa” da secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel) que atende mil idosos em seis polos na Grande Belém (Escola Triunfo, Associação da Assembleía Legislativa (Asalp), Mangueirão, Tuna (foto), Universidade do Estado do Pará (Uepa) e Hospital Abelardo Santos em Icoaraci). FOTO: THIAGO GOMES / AG. PARÁ DATA: 29.09.2017 BELÉM – PARÁ

Projeto ?Vida Ativa? da secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel) que atende mil idosos em seis polos na Grande Belém (Escola Triunfo, Associação da Assembleía Legislativa (Asalp), Mangueirão, Tuna (foto), Universidade do Estado do Pará (Uepa) e Hospital Abelardo Santos em Icoaraci). FOTO: THIAGO GOMES / AG. PARÁ DATA: 29.09.2017 BELÉM – PARÁ

A inflação na Região Metropolitana de Belém registou taxa de 1,08% no mês de fevereiro, ficando 1,01 ponto percentual abaixo do registrado no mês de janeiro, quando apresentou alta de 2,09%. Apesar desse recuo, os custos com itens de alimentação como legumes, farinha, massas e frutas continuam pressionando o resultado da inflação, chegando à taxa de 1,86%, maior percentual entre os grupos de despesas avaliados na pesquisa. Na foto, cenoura e tomate FOTO: CRISTINO MARTINS / ARQUIVO AG. PARÁ DATA: 16.03.2016 BELÉM – PARÁ

Projeto “Vida Ativa” da secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel) que atende mil idosos em seis polos na Grande Belém (Escola Triunfo, Associação da Assembleía Legislativa (Asalp), Mangueirão, Tuna (foto), Universidade do Estado do Pará (Uepa) e Hospital Abelardo Santos em Icoaraci). FOTO: THIAGO GOMES / AG. PARÁ DATA: 29.09.2017 BELÉM – PARÁ

Elci Gayoso Costa, 79 anos, há mais de 10 anos nas segundas e quintas-feiras pratica hidroginástica e ginástica rítmica e ainda faz alongamento. Quando não pode comparecer às atividades físicas sente que seu corpo fica mais pesado. Ela também participa das comemorações e passeios junto com as amigas do projeto “Vida Ativa” da qual participa. A técnica em segurança do trabalho Jucilene Nascimento, 53 anos (foto), ainda não chegou na terceira idade mas participa do Vida Ativa e é uma das mais animadas nas atividades. FOTO: THIAGO GOMES / AG. PARÁ DATA: 29.09.2017 BELÉM – PARÁ

A inflação na Região Metropolitana de Belém registou taxa de 1,08% no mês de fevereiro, ficando 1,01 ponto percentual abaixo do registrado no mês de janeiro, quando apresentou alta de 2,09%. Apesar desse recuo, os custos com itens de alimentação como legumes, farinha, massas e frutas (foto) continuam pressionando o resultado da inflação, chegando à taxa de 1,86%, maior percentual entre os grupos de despesas avaliados na pesquisa. FOTO: CRISTINO MARTINS / ARQUIVO AG. PARÁ DATA: 16.03.2016 BELÉM – PARÁ

Há três anos, o servidor público Edson Vieira da Conceição, 62, não se preocupava com o estilo de vida que levava. Além de ser sedentário, na sua alimentação era comum o consumo de refrigerantes, doces e alimentos gordurosos. Mas tudo isso precisou mudar quando foi diagnosticado com diabetes tipo 2, aos 59 anos de idade. Para controlar a doença que afeta mais de 16 milhões de brasileiros, segundo o Ministério da Saúde, Edson mudou sua alimentação e adotou a prática de atividade física regularmente, além de tomar medicamentos orais duas vezes ao dia. “Para conviver com a diabetes é preciso ter disciplina, fazer exercícios físicos, tomar as medicações todos os dias, evitar o açúcar e quando consumir alimentos doces, deve ser de forma equilibrada, sem exagerar”, explica Edson Viera, servidor público do Instituto de Assistência dos Servidores do Estado do Pará (Iasep). Na foto, saladas naturais. FOTO: MARCO SANTOS / USP IMAGENS DATA: 09.05.2012