Balão da NASA detecta terremoto na Califórnia

Diego Aguirre e Paulo Paixão – nova comissão técnica do Internacional
23 de junho de 2021
Fluminense enfrenta o Atlético-GO pela 6ª rodada do Campeonato Brasileiro 2021.
23 de junho de 2021
38
Compartilhe
A técnica está sendo desenvolvida para detectar “venusquakes”. Um novo estudo detalha como, em 2019, ele fez a primeira detecção de um terremoto em um balão muito mais perto de casa.
Entre 4 e 6 de julho de 2019, uma sequência de terremotos poderosos atingiu Ridgecrest, Califórnia, provocando mais de 10.000 tremores secundários em um período de seis semanas. Vendo uma oportunidade, pesquisadores do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA e Caltech voaram instrumentos presos a balões de alta altitude sobre a região na esperança de fazer a primeira detecção de um terremoto natural. Seu objetivo: testar a tecnologia para futuras aplicações em Vênus, onde balões equipados com instrumentos científicos poderiam flutuar acima da superfície extremamente inóspita do planeta.
E eles conseguiram. Em 22 de julho, barômetros altamente sensíveis (instrumentos que medem mudanças na pressão do ar) em um dos balões detectaram as ondas sonoras de baixa frequência causadas por um tremor no solo.
Em seu novo estudo, publicado em 20 de junho na Geophysical Research Letters, a equipe por trás dos balões descreve como uma técnica semelhante poderia ajudar a revelar os mistérios mais íntimos de Vênus, onde as temperaturas da superfície são quentes o suficiente para derreter o chumbo e as pressões atmosféricas são altas o suficiente para esmagar um submarino.