Ciclo de Debates das Centrais com o governador do Maranhão, Flávio Dino

Os deputados estaduais aprovaram nesta terça-feira (3/3), em segundo turno, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 18/2019 que trata da Reforma da Previdência dos servidores
3 de março de 2020
Presidente da República, Jair Bolsonaro, durante encontro com o senhor Manuel Domingos Augusto, Ministro das Relações Exteriores da República de Angola.
3 de março de 2020
253
Compartilhe

‘Proteger o movimento sindical é defender a renda e os direitos da classe trabalhadora’, diz Flávio Dino
O ciclo de debates “O Brasil que queremos”, da Força Sindical, foi inaugurado nesta terça, 3 de março de 2020, no Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, com a presença do governador do Maranhão, Flávio Dino, do PCdoB.
Em sua palestra, ele defendeu a revogação da legislação trabalhista que tem prejudicado o sindicalismo brasileiro e saídas para garantir o financiamento das entidades sindicais. “A renda e trabalho decentes dependem do movimento sindical”, que precisa de proteção para evitar que o capital “massacre a classe trabalhadora”, diz Flávio Dino, também criticando a carteira verde-e-amarela como uma iniciativa do governo “antinacional e antipopular”.

Outras tarefas fundamentais, segundo o governador, é apresentar ao País uma Frente Ampla em defesa da democracia, investir em políticas públicas na Educação, na Saúde e no SUS e corrigir o sistema tributário, tornando-o justo para a grande maioria da população e para os mais pobres.

Com participação de dirigentes sindicais, trabalhadores, lideranças políticas e movimentos sociais, o encontro foi encerrado com a entrega ao governador da Agenda Prioritária da Classe Trabalhadora que contém propostas para a retomada do desenvolvimento econômico do Brasil, com indústria nacional forte, geração de empregos de qualidade, trabalho decente, distribuição de renda, avanços democráticos, justiça social e respeito aos direitos trabalhistas, sociais e previdenciários dos trabalhadores.

Crédito: Jaélcio Santana

Crédito: Jaélcio Santana

Crédito: Jaélcio Santana

Crédito: Jaélcio Santana

Crédito: Jaélcio Santana