Comissão Nacional da Verdade convoca delegado para depor em audiência pública

Foto: Elza Fiuza/ Agência Brasil
Ministros da Justiça, do Esporte e dirigentes de federações estaduais de futebol, discutem a segurança nos estádios
12 de dezembro de 2013
Foto: Ivo Lima/ ME
Ministro do Esporte, Aldo Rebelo, assina o Protocolo de Intenções junto aos representantes do Unicef no Brasil
12 de dezembro de 2013
452
Compartilhe
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

São Paulo –  SP, 12/12/13- José Carlos Dias e Pedro Dallari, membros da Comissão Nacional da Verdade. A Comissão Nacional da Verdade convocou o delegado aposentado da Polícia Civil de São Paulo, Aparecido Laertes Calandra, para depor em audiência pública, em São Paulo. Segundo vítimas da repressão e testemunhas, Calandra utilizava o apelido de Capitão Ubirajara e é acusado de tortura e mortes no Doi-Codi de São Paulo, o maior centro de repressão política brasileira.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

São Paulo –  SP, 12/12/13- Maria Amélia Teles, ex-presa política, depõe na Comissão Nacional da Verdade. A Comissão Nacional da Verdade convocou o delegado aposentado da Polícia Civil de São Paulo, Aparecido Laertes Calandra, para depor em audiência pública, em São Paulo. Segundo vítimas da repressão e testemunhas, Calandra utilizava o apelido de Capitão Ubirajara e é acusado de tortura e mortes no Doi-Codi de São Paulo, o maior centro de repressão política brasileira.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

São Paulo –  SP, 12/12/13-  Maria Amélia Teles, ex-presa política, depõe na Comissão Nacional da Verdade. A Comissão Nacional da Verdade convocou o delegado aposentado da Polícia Civil de São Paulo, Aparecido Laertes Calandra, para depor em audiência pública, em São Paulo. Segundo vítimas da repressão e testemunhas, Calandra utilizava o apelido de Capitão Ubirajara e é acusado de tortura e mortes no Doi-Codi de São Paulo, o maior centro de repressão política brasileira.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

São Paulo –  SP, 12/12/13-   O vereador Gilberto Natalini, ex-preso político, depõe na Comissão Nacional da Verdade. A Comissão Nacional da Verdade convocou o delegado aposentado da Polícia Civil de São Paulo, Aparecido Laertes Calandra, para depor em audiência pública, em São Paulo. Segundo vítimas da repressão e testemunhas, Calandra utilizava o apelido de Capitão Ubirajara e é acusado de tortura e mortes no Doi-Codi de São Paulo, o maior centro de repressão política brasileira.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

São Paulo –  SP, 12/12/13- A Comissão Nacional da Verdade convocou o delegado aposentado da Polícia Civil de São Paulo, Aparecido Laertes Calandra, para depor em audiência pública, em São Paulo. Segundo vítimas da repressão e testemunhas, Calandra utilizava o apelido de Capitão Ubirajara e é acusado de tortura e mortes no Doi-Codi de São Paulo, o maior centro de repressão política brasileira.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

São Paulo –  SP, 12/12/13- José Carlos Dias e Pedro Dallari, membros da Comissão Nacional da Verdade. A Comissão Nacional da Verdade convocou o delegado aposentado da Polícia Civil de São Paulo, Aparecido Laertes Calandra, para depor em audiência pública, em São Paulo. Segundo vítimas da repressão e testemunhas, Calandra utilizava o apelido de Capitão Ubirajara e é acusado de tortura e mortes no Doi-Codi de São Paulo, o maior centro de repressão política brasileira.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

São Paulo –  SP, 12/12/13-  A Comissão Nacional da Verdade convocou o delegado aposentado da Polícia Civil de São Paulo, Aparecido Laertes Calandra, para depor em audiência pública, em São Paulo. Segundo vítimas da repressão e testemunhas, Calandra utilizava o apelido de Capitão Ubirajara e é acusado de tortura e mortes no Doi-Codi de São Paulo, o maior centro de repressão política brasileira.