Comportas da hidrelétrica da usina de Itaipu continuam abertas e a passarela já foi liberada para visitantes

Foto: Paulo Pinto/ Fotos Públicas
Movimento na Ladeira Porto Geral e no Mercado Municipal, no centro de São Paulo, na manhã deste sábado (05/12)
5 de dezembro de 2015
Foto: Roberto Stuckert Filho/ PR
Presidente Dilma Rousseff durante reunião sobre as Ações de Enfrentamento de Doenças Transmitidas pelo Aedes Aegypti
5 de dezembro de 2015
750
Compartilhe
Foto: Itaipu Binacional

Foto: Itaipu Binacional

Foto: Itaipu Binacional

Foto: Itaipu Binacional

05/12/2015- Foz do Iguaçu- PR, Brasil- Depois que a vazão nas Cataratas do Iguaçu baixou 3 mil metros cúbicos de água por segundo, a passarela de acesso à Garganta do Diabo foi liberada nesta sexta-feira, 4, por volta do meio-dia. A interdição durou menos de 24 horas.  Todos os demais passeios não haviam sofrido alterações. O volume ali caiu de 9 mil para 6 mil metros cúbicos por segundo. Ainda é muita água – quatro vezes mais que o volume médio -, mas já não há risco para os turistas que quiserem utilizar a passarela.

Foto: Itaipu Binacional

Foto: Itaipu Binacional

05/12/2015- Foz do Iguaçu- PR, Brasil- E o melhor: o espetáculo com as quedas volumosas é ainda mais impressionante. Na Itaipu, a vazão do Rio Paraná, também continua elevada. O vertedouro está liberando mais água do que toda a vazão nas Cataratas do Iguaçu, no momento. A usina chegou a verter pela manhã 9 mil metros cúbicos de água por segundo e, no começo da tarde, pouco mais de 6 mil metros cúbicos de água por segundo.
Foto: Itaipu Binacional

Foto: Itaipu Binacional

05/12/2015- Foz do Iguaçu- PR, Brasil- Apesar do vertimento, a hidrelétrica está operando com carga máxima para atender o sistema elétrico do Brasil e do Paraguai. A água liberada é o excedente que não é utilizado para a produção de energia. Chove tanto na cabeceira do Rio Iguaçu, quanto na área do reservatório da usina de Itaipu, no Rio Paraná. Situação ocorre em boa parte influenciada pelo fenômeno El Niño.