Conheça a “Rota Parecis”, roteiro criado em parceria com as aldeias indígenas do estado do Mato Grosso

Foto: Milena Abreu/ Agecom
Mercado Modelo encanta turistas e baianos pela variedade de produtos típicos que estão à venda nos boxes
9 de abril de 2016
Foto: Marcelo Hide/ Fotos Públicas
Marcha para Jesus, na cidade de Nagoya, no Japão
9 de abril de 2016
1795
Compartilhe
Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

09/04/2016- Campo Novo do Parecis- MT, Brasil- O projeto “Rota Parecis” é um roteiro turístico que vem sendo estruturado para oferecer ao turista a oportunidade de vivenciar o dia-a-dia indígena, sua cultura, seus hábitos, bem como desfrutar de cenários incríveis, como os rios e cachoeiras com suporte e estrutura necessárias. 80% dos atrativos turísticos estão em áreas indígenas.

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

09/04/2016- Campo Novo do Parecis- MT, Brasil- Parte da programação da Feira Internacional de Turismo do Pantanal que acontece entre os dias 20 e 24 de abril em Cuiabá, esta é a quarta viagem dos jornalistas a destinos turísticos do Estado. Eles já conheceram Nobres, Chapada dos Guimarães e Cáceres. No próximo dia nove será a vez de Jaciara, a capital dos esportes radicais. De acordo com o titular da Sedec, Seneri Paludo, a meta da atual gestão é transformar o turismo em um dos pilares de desenvolvimento econômico do Estado, a exemplo do agronegócio.

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

09/04/2016- Campo Novo do Parecis- MT, Brasil- Para tanto o Estado vem atuando fortemente em três frentes para alavancar o setor. “Estamos trabalhando um tripé como estratégia: infraestrutura, qualificação e promoção e divulgação. A FIT e os fampress entram como parte dessa divulgação, pois precisamos vender nosso potencial e esses eventos são uma excelente oportunidade, pois quem não é visto não é notado”, disse.

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

09/04/2016- Campo Novo do Parecis- MT, Brasil- A aldeia Wazare, criada há cinco anos, está localizada às margens do Rio Verde. Ali se desenvolve o etnoturismo indígena, com a cultura dos Paresí-Haliti presente em cada detalhe por meio das apresentações de danças, cantos, histórias míticas, pinturas corporais, esportes tradicionais e comercialização de artesanato. O local é perfeito para desbravar o Rio Verde através de passeio de barco e banho de rio.

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

09/04/2016- Campo Novo do Parecis- MT, Brasil- Já a aldeia Quatro Cachoeiras está localizada a 33 km da cidade, dentro da Terra Indígena Utiariti. O nome deve-se às quatro belas quedas d´agua formadas pelo Rio Sacre, localizado neste território.

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

09/04/2016- Campo Novo do Parecis- MT, Brasil- Elas são paralelas umas às outras e cercadas por mata densa. Para chegar as quedas da Aldeia Quatro Cachoeiras, caminha-se em uma trilha curta e estreita. O local é de grande beleza e indicado para a contemplação.

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

09/04/2016- Campo Novo do Parecis- MT, Brasil- O Salto Utiariti situado na Aldeia Indígena Utiariti, é um dos mais imponentes de Mato Grosso.

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

09/04/2016- Campo Novo do Parecis- MT, Brasil- Formado pelas águas do Rio Papagaio, tem queda de aproximadamente 90 metros e grande volume d’água.

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

09/04/2016- Campo Novo do Parecis- MT, Brasil- Partindo da aldeia, com uma pequena caminhada, chega-se à parte superior da cachoeira onde há uma pequena piscina natural para banho.

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

09/04/2016- Campo Novo do Parecis- MT, Brasil- O lago tem correntes de água quente e fria. Para contemplar o salto de frente é necessário também caminhar por outra trilha íngreme e cercada por mata densa para se chegar a um mirante e apreciar sua beleza.

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT

Foto: Junior Silgueiro/ GCOM-MT