Corte Internacional de Justiça, na Holanda, ordena suspensão da caça de baleias, no Japão

Fotos: Sérgio Vale/Secom (28/03/2014)
Operação na BR-364, no Acre, para a passagem de carretas
31 de março de 2014
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil
Protesto em frente a casa do coronel Brilhante Ustra, em Brasília
31 de março de 2014
848
Compartilhe
Foto: ICJ-CIJ/ UN

Foto: ICJ-CIJ/ UN

Foto: ICJ-CIJ/ UN

Foto: ICJ-CIJ/ UN

Haia- Holanda, 31/03/2014- Vista geral dos juízes do Tribunal Internacional de Justiça.

Foto: ICJ-CIJ/ UN

Foto: ICJ-CIJ/ UN

Haia- Holanda, 31/03/2014- Juiz Peter Tomka, durante a sessão em que o tribunal proferiu o acórdão. O Japão deve interromper temporariamente as atividades de caça as baleias. A conclusão é de que o Japão realiza tal atividade para fins comerciais. Segundo o Tomka, atividades assim só podem ser realizadas para fins científicos.

Foto: ICJ-CIJ/ UN

Foto: ICJ-CIJ/ UN

Haia- Holanda, 31/03/2014- Philippe Couvreur, secretário da CIJ, durante a sessão. A Corte Internacional de Justiça considerou que o programa de caça às baleias do Japão na Antártida não está de acordo com três disposições do Anexo da Convenção Internacional para a regulação da Atividade Baleeira.