Dia Internacional de Luta contra da Discriminação Racial

Henrique Meirelles se reúne com a bancada do PSDB na Câmara
21 de março de 2017
Treino do Flamengo no ninho do Urubu
21 de março de 2017
465
Compartilhe

21/03/2017- Rio de Janeiro- RJ, Brasil- O Museu da Escravidão e Liberdade recebe, no Centro Cultural José Bonifácil, na Gamboa, o primeiro objeto que fará parte do seu acervo: um cadeado de ferro utilizado em senzala localizada numa fazenda de café no município de Vassouras. A cerimônia marca também a celebração do Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial Foto: Tânia Rêgo / Agência Brasil

21/03/2017- Rio de Janeiro- RJ, Brasil- O Museu da Escravidão e Liberdade recebe, no Centro Cultural José Bonifácil, na Gamboa, o primeiro objeto que fará parte do seu acervo: um cadeado de ferro utilizado em senzala localizada numa fazenda de café no município de Vassouras. A cerimônia marca também a celebração do Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial
Foto: Tânia Rêgo / Agência Brasil

21/03/2017- Rio de Janeiro- RJ, Brasil- A secretária municipal de Cultura, Nilcemar Nogueira, participa de cerimônia no Museu da Escravidão e Liberdade, que recebe, no Centro Cultural José Bonifácil, na Gamboa, o primeiro objeto que fará parte do seu acervo: um cadeado de ferro utilizado em senzala localizada numa fazenda de café no município de Vassouras. A cerimônia marca também a celebração do Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial
Foto: Tânia Rêgo / Agência Brasil

21/03/2017- Rio de Janeiro- RJ, Brasil- O Museu da Escravidão e Liberdade recebe, no Centro Cultural José Bonifácil, na Gamboa, o primeiro objeto que fará parte do seu acervo: um cadeado de ferro utilizado em senzala localizada numa fazenda de café no município de Vassouras. A cerimônia marca também a celebração do Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial
Foto: Tânia Rêgo / Agência Brasil

21/03/2017- Rio de Janeiro- RJ, Brasil- O Museu da Escravidão e Liberdade recebe, no Centro Cultural José Bonifácil, na Gamboa, o primeiro objeto que fará parte do seu acervo: um cadeado de ferro utilizado em senzala localizada numa fazenda de café no município de Vassouras. A cerimônia marca também a celebração do Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial
Foto: Tânia Rêgo / Agência Brasil

21/03/2017- Rio de Janeiro- RJ, Brasil- O Museu da Escravidão e Liberdade recebe, no Centro Cultural José Bonifácil, na Gamboa, o primeiro objeto que fará parte do seu acervo: um cadeado de ferro utilizado em senzala localizada numa fazenda de café no município de Vassouras. A cerimônia marca também a celebração do Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial
Foto: Tânia Rêgo / Agência Brasil

21/03/2017- Rio de Janeiro- RJ, Brasil- O Museu da Escravidão e Liberdade recebe, no Centro Cultural José Bonifácil, na Gamboa, o primeiro objeto que fará parte do seu acervo: um cadeado de ferro utilizado em senzala localizada numa fazenda de café no município de Vassouras. A cerimônia marca também a celebração do Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial
Foto: Tânia Rêgo / Agência Brasil

21/03/2017- Rio de Janeiro- RJ, Brasil- O Museu da Escravidão e Liberdade recebe, no Centro Cultural José Bonifácil, na Gamboa, o primeiro objeto que fará parte do seu acervo: um cadeado de ferro utilizado em senzala localizada numa fazenda de café no município de Vassouras. A cerimônia marca também a celebração do Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial
Foto: Tânia Rêgo / Agência Brasil

21/03/2017- Rio de Janeiro- RJ, Brasil- O Museu da Escravidão e Liberdade recebe, no Centro Cultural José Bonifácil, na Gamboa, o primeiro objeto que fará parte do seu acervo: um cadeado de ferro utilizado em senzala localizada numa fazenda de café no município de Vassouras. A cerimônia marca também a celebração do Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial
Foto: Tânia Rêgo / Agência Brasil

21/03/2017- Rio de Janeiro- RJ, Brasil- O Museu da Escravidão e Liberdade recebe, no Centro Cultural José Bonifácil, na Gamboa, o primeiro objeto que fará parte do seu acervo: um cadeado de ferro utilizado em senzala localizada numa fazenda de café no município de Vassouras. A cerimônia marca também a celebração do Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial
Foto: Tânia Rêgo / Agência Brasil

21/03/2017- Rio de Janeiro- RJ, Brasil- O Museu da Escravidão e Liberdade recebe, no Centro Cultural José Bonifácil, na Gamboa, o primeiro objeto que fará parte do seu acervo: um cadeado de ferro utilizado em senzala localizada numa fazenda de café no município de Vassouras. A cerimônia marca também a celebração do Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial
Foto: Tânia Rêgo / Agência Brasil

21/03/2017- Rio de Janeiro- RJ, Brasil- O Museu da Escravidão e Liberdade recebe, no Centro Cultural José Bonifácil, na Gamboa, o primeiro objeto que fará parte do seu acervo: um cadeado de ferro utilizado em senzala localizada numa fazenda de café no município de Vassouras. A cerimônia marca também a celebração do Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial
Foto: Tânia Rêgo / Agência Brasil

21/03/2017- Rio de Janeiro- RJ, Brasil- A Baiana do Abarajé, Maria de Moura, participa de cerimônia no Museu da Escravidão e Liberdade, que recebe, no Centro Cultural José Bonifácil, na Gamboa, o primeiro objeto que fará parte do seu acervo: um cadeado de ferro utilizado em senzala localizada numa fazenda de café no município de Vassouras. A cerimônia marca também a celebração do Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial
Foto: Tânia Rêgo / Agência Brasil