Dias para ficar na memória e deixar um legado de tolerância, igualdade e respeito

País africano Suazilândia comemora 50 anos de independência e troca de nome para eSwatini
20 de abril de 2018
Retiro do Castelo de Windsor
20 de abril de 2018
431
Compartilhe

SÃO FÉLIX DO XINGU PA Dias para ficar na memória e deixar um legado de tolerância, igualdade e respeito. A Semana dos Povos Indígenas chega ao fim no Dia do Índio, data emblemática que, no Brasil, marca a luta por direitos desde o ano de 1943. Arena múltipla, que proporcionou espaço para manifestações culturais, esporte, lazer e debates, o evento transformou São Félix do Xingu, a cerca de 1.050 quilômetros de Belém, na capital nacional indígena. Este ano, o evento tomou grandes proporções, com a participação de cinco mil índios de 12 etnias, de Estados como Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Tocantins e Pernambuco. “A Semana dos Povos Indígenas ganhou vida própria. O que começou como um encontro destinado aos Kayapó se tornou um grande congraçamento de tribos e etnias. Expandimos também as discussões, trazendo grandes nomes nacionais para enriquecer as reflexões que devemos fazer na luta pelos direitos indígenas. Posso dizer que foi um sucesso”, afirma a organizadora, Viviane Cunha, destacando o apoio do Estado. “Sem o governo não existiria o evento. A segurança, a ação de cidadania, a comunicação, o esporte, as oficinas, enfim, tudo isso faz sermos hoje o que somos. Só tenho a agradecer”.FOTO: RODOLFO OLIVEIRA / AG PARÁ

RODOLFO OLIVEIRA / AG PARÁ

RODOLFO OLIVEIRA / AG PARÁ

RODOLFO OLIVEIRA / AG PARÁ

RODOLFO OLIVEIRA / AG PARÁ