Em Brasília, ministros do STF retomam o julgamento do recurso em que se discute a validade jurídica da desaposentação

Foto: Tânia Rêgo/ Agência Brasil
Ministro da Aviação Civil, Moreira Franco, assina os contratos para a conclusão das obras no Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro
9 de outubro de 2014
Foto: Erika Torres/ SUSIPE
Cooperativa de detentas do CRF produz peças exclusivas para o Círio de Nazaré, no Pará
9 de outubro de 2014
700
Compartilhe
Foto: José Cruz/ Agência Brasil

Foto: José Cruz/ Agência Brasil

09/10/2014- Brasília- DF, Brasil- O STF retoma o julgamento do recurso em que se discute a validade jurídica da desaposentação. Na foto, o relator ministro Luís Roberto Barroso e o procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Foto: José Cruz/ Agência Brasil

Foto: José Cruz/ Agência Brasil

09/10/2014- Brasília- DF, Brasil- O STF retoma o julgamento do recurso em que se discute a validade jurídica da desaposentação. Na foto, o ministro Luiz Fux e o presidente do STF, Ricardo Lewandowski.

Foto: José Cruz/ Agência Brasil

Foto: José Cruz/ Agência Brasil

09/10/2014- Brasília- DF, Brasil-  O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), votou hoje (9) a favor da possibilidade de o aposentado pedir a revisão do benefício por ter voltado a trabalhar e a contribuir para a Previdência Social. Na foto a ministra Rosa Weber.

Foto: José Cruz/ Agência Brasil

Foto: José Cruz/ Agência Brasil

09/10/2014- Brasília- DF, Brasil- O Supremo Tribunal Federal (STF) retoma o julgamento do recurso em que se discute a validade jurídica da desaposentação.

Foto: José Cruz/ Agência Brasil

Foto: José Cruz/ Agência Brasil

09/10/2014- Brasília- DF, Brasil- O STF retoma o julgamento do recurso em que se discute a validade jurídica da desaposentação. Na foto, os ministros Marco Aurélio e Luiz Fux.

Foto: José Cruz/ Agência Brasil

Foto: José Cruz/ Agência Brasil

09/10/2014- Brasília- DF, Brasil- O STF retoma o julgamento do recurso em que se discute a validade jurídica da desaposentação. Na foto, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e o presidente do STF, Ricardo Lewandowski.