Em Nova York, Conselho de Segurança da ONU volta a discutir a situação na Ucrânia e Sudão do Sul

Foto: Polícia Civil - RS
Mais de 30 são detidos em operação contra tráfico e homicídios na Região Metropolitana de Porto Algre
8 de agosto de 2014
Foto: Bruno Cantini/ Atlético Mineiro
Treino do Atlético Mineiro, em MG
8 de agosto de 2014
356
Compartilhe
Foto: Loey Felipe/ UN

Foto: Loey Felipe/ UN

Foto: Loey Felipe/ UN

Foto: Loey Felipe/ UN

08/08/2014- Nova York- Estados Unidos- Visão geral da reunião do Conselho de Segurança sobre a situação na Ucrânia. O Conselho recebeu um briefing via link de vídeo de Ivan Simonovic (na tela), Secretário-Geral Adjunto para os Direitos Humanos.

Foto: Loey Felipe/ UN

Foto: Loey Felipe/ UN

08/08/2014- Nova York- Estados Unidos- Mark Lyall Grant, Representante Permanente do Reino Unido junto da ONU e presidente do Conselho de Segurança para o mês de agosto, preside a reunião do Conselho sobre a situação na Ucrânia.

Foto: Paulo Filgueiras/ UN

Foto: Paulo Filgueiras/ UN

08/08/2014- Nova York- Estados Unidos- Oleksandr Pavlichenko, Representante Permanente Adjunto da Ucrânia à ONU, aborda a reunião do Conselho de Segurança sobre a situação no seu país.

Foto: Paulo Filgueiras/ UN

Foto: Paulo Filgueiras/ UN

08/08/2014- Nova York- Estados Unidos- Vitaly Churkin I. (direita), representante permanente da Federação da Rússia à ONU, aborda a reunião do Conselho de Segurança sobre a situação na Ucrânia.

Foto: Paulo Filgueiras/ UN

Foto: Paulo Filgueiras/ UN

08/08/2014- Nova York- Estados Unidos- Mark Lyall Grant, Representante Permanente do Reino Unido junto da ONU e presidente do Conselho de Segurança para o mês de agosto, fez uma declaração sobre a situação no Sudão do Sul, em nome dos membros do Conselho. O Conselho manifestou “grave alarme e preocupação em relação à deterioração substancial da situação política e de segurança e desenvolvimento de catástrofe humanitária no Sudão do Sul resultante do Movimento de Libertação do Povo do Sudão interna (SPLM) disputa política e violência implacável, inclusive contra civis, causada pelo país de Os líderes políticos e militares desde 15 de dezembro de 2013”.