Governo de Minas Gerais assegura pagamento do piso nacional aos servidores da Educação

Foto: Rafael Ribeiro/ CBF
Marco Polo Del Nero homenageia as mães da CBF
8 de maio de 2015
Foto: Ciete Silvério/ A2D
Aos 88 anos, moradora da Mooca é eleita a mais bela idosa de São Paulo
8 de maio de 2015
374
Compartilhe
Foto: Gil Leonardi/ Imprensa MG

Foto: Gil Leonardi/ Imprensa MG

Foto: Gil Leonardi/ Imprensa MG

Foto: Gil Leonardi/ Imprensa MG

08/05/2015- Belo Horizonte- MG, Brasil- Em reunião realizada nesta sexta-feira (8/5), na Cidade Administrativa de Minas Gerais, entre representantes do Governo do Estado e entidades representativas dos servidores da educação, foi fechada uma proposta para a implantação do piso salarial e reestruturação da carreira dos trabalhadores. Participaram da reunião o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG) e a Associação de Diretores de Escolas Oficiais de Minas Gerais (Adeomg). A proposta apresenta importantes avanços e a expectativa é de um retorno positivo dos trabalhadores da educação.

Foto: Gil Leonardi/ Imprensa MG

Foto: Gil Leonardi/ Imprensa MG

08/05/2015- Belo Horizonte- MG, Brasil- Os principais pontos dessa proposta são a garantia do pagamento do piso salarial nacional até 2018, com um reajuste de 31,78%, em três parcelas (13,06% em 2015, 8,21% em 2016 e 7,72% em 2017) na forma de abonos que serão incorporados ao vencimento básico, além da garantia de atualização do piso salarial estadual nos mesmos índices de correção do piso nacional do magistério; a isonomia para os aposentados; a extensão dos reajustes para as demais carreiras da Educação Básica.

Foto: Gil Leonardi/ Imprensa MG

Foto: Gil Leonardi/ Imprensa MG

08/05/2015- Belo Horizonte- MG, Brasil- Outro ponto importante é a garantia da nomeação de 60 mil servidores concursados até 2018, na razão de 15 mil por ano. Já foram nomeados até o momento 3 mil aprovados em concurso.

Foto: Gil Leonardi/ Imprensa MG

Foto: Gil Leonardi/ Imprensa MG

08/05/2015- Belo Horizonte- MG, Brasil- As entidades representativas reconheceram os avanços obtidos com a negociação. “Nosso esforço foi para recuperar direitos que perdermos na última década. Reconquistamos a reorganização da carreira. Tivemos avanços significativos e corrigimos distorções importantes”, enfatiza a coordenadora geral do Sind-UTE, Beatriz Cerqueira. Sobre a polêmica do pagamento do piso, uma reivindicação histórica da categoria, ela foi enfática: “Está acabando”.

Foto: Gil Leonardi/ Imprensa MG

Foto: Gil Leonardi/ Imprensa MG

Foto: Gil Leonardi/ Imprensa MG

Foto: Gil Leonardi/ Imprensa MG