Governos federal e estadual unem forças para evitar o isolamento do Acre

541
Foto: Sérgio Vale/ Secom
Foto: Sérgio Vale/ Secom

Porto Velho- RO, 25/02/2014- O ministro da Integração (MI), Francisco Teixeira, o secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec), Adriano Pereira Júnior, o vice-governador do Acre, César Messias, o governador de Rondônia, Confúcio Moura, e representantes de entidades federais se reuniram para discutir maneiras de evitar um possível isolamento do Acre e, ainda, sinalizar apoio à Rondônia, que sofre com a cheia do Rio Madeira.

Foto: Sérgio Vale/ Secom
Foto: Sérgio Vale/ Secom

Porto Velho- RO, 25/02/2014- A conversa foi realizada na base área de Porto Velho, na manhã desta terça-feira, 25, com apresentações técnicas e discussões sobre o assunto.

Foto: Sérgio Vale/ Secom
Foto: Sérgio Vale/ Secom

Porto Velho- RO, 25/02/2014- Segundo o Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), o Rio Madeira deve continuar com elevação das águas até o fim da primeira quinzena de março, o que pode causar o isolamento do Acre pela BR-364, única ligação terrestre que aproxima o estado do restante do Brasil.

Foto: Sérgio Vale/ Secom
Foto: Sérgio Vale/ Secom

Rio Branc0- AC, 25/02/2014- Para o ministro Francisco Teixeira, esse é o momento de tomar medidas ainda mais efetivas: “As preocupações aumentam, mas ações integradas do governo federal, estadual e municipal estão tendo os efeitos esperados e amenizam a situação”.

Foto: Sérgio Vale/ Secom
Foto: Sérgio Vale/ Secom

Rio Branc0- AC, 25/02/2014- O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) também alertou para o fechamento da BR-364, em definitivo, durante a cheia. Atualmente, apenas caminhões possuem permissão para fazer a travessia, acompanhados constantemente pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), no trecho alagado próximo à cidade de Jaci Paraná (RO).

Foto: Sérgio Vale/ Secom
Foto: Sérgio Vale/ Secom

Rio Branc0- AC, 25/02/2014- Ainda segundo o Sipam, essa é uma situação extremamente anômala, levando em consideração que as cheias do Rio Madeira costumam acontecer em março e abril. Para o secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil, Adriano Pereira Júnior, é hora de parar de atuar emergencialmente e começar a se antecipar nas ações. “Se o rio chegar a 19 metros, a nossa pergunta, hoje, é: como vamos abastecer o Acre? Eu estou solicitando ao governo que sejam enviados os dados do que precisariam para evitar a situação, para que definamos o abastecimento”, explica Adriano Júnior.

Foto: Sérgio Vale/ Secom
Foto: Sérgio Vale/ Secom
Foto: Sérgio Vale/ Secom
Foto: Sérgio Vale/ Secom
Foto: Sérgio Vale/ Secom
Foto: Sérgio Vale/ Secom
Foto: Sérgio Vale/ Secom
Foto: Sérgio Vale/ Secom
Foto: Sérgio Vale/ Secom
Foto: Sérgio Vale/ Secom