Índice que regula reajuste de aluguéis começa o ano em queda

Foto: Marcos Santos/USP Imagens
Candidatos já podem consultar vagas do Sisu
12 de janeiro de 2015
Foto: Carlos Sodré/ AG. PARÁ
Pontos Turísticos contam a história de Belém que completa hoje 399 anos e estimulam o destino Pará
12 de janeiro de 2015
413
Compartilhe
Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

12/01/2015 – Brasil – A inflação medida pelo Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) fechou o primeiro decêndio do ano com taxa de variação de 0,29%, registrando queda de 0,34 ponto percentual em relação aos 0,63% da alta do indicador no mesmo período de dezembro do ano passado. A apuração referente ao primeiro decêndio do IGP-M de janeiro compreendeu o intervalo entre os dias 21 e 31 do mês de dezembro.

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

12/01/2015 – Brasil -Os dados foram divulgados hoje (12) pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV) e refletem preços menores captados em dois dos três componentes do IGP-M. O Indicador é utilizado como parâmetro para o reajuste dos preços dos aluguéis, das tarifas públicas, dos planos e seguros de saúde.

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

12/01/2015 – Brasil – A principal influência foi exercida pelo Índice de Preços no Atacado (IPA) que, com peso de 60% na composição do IGP-M, sofreu retração de 0,48 ponto percentual – de 0,71% para 0,23%, no primeiro decêndio do ano. O Índice Nacional de Custos da Construção (INCC), com peso de 10%, caiu 0,33 ponto percentual – de 0,41% para 0,08%. Único a fechar o mês em alta, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) fechou com pequena elevação: 0,01 ponto percentual – de 0,51% para 0,52%. Cinco das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram acréscimo em suas taxas de variação. A maior contribuição partiu do grupo Alimentação (0,47% para 1,01%). Fonte: Abr

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas