Justiça determina prisão de Sininho e mais dois manifestantes

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Reunião do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico
3 de dezembro de 2014
Foto: Gabriela Korossy/ Câmara dos Deputados
Ildo Sauer ex-diretor de Gás e Energia da Petrobras, depõe na CPMI da Petrobras
3 de dezembro de 2014
355
Compartilhe
Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil (11/02/2014)

Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil (11/02/2014)

03/12/2014 – Brasil – Os ativistas Elisa de Quadros Sanzi, conhecida como “Sininho”, Igor Pereira D’Icarahy e Karlayne Moraes da Silva Pinheiro, a Moa, tiveram a prisão preventiva decretada nesta quarta-feira (3), no Rio de Janeiro. Na decisão, o juiz Flavio Itabaiana, da 27ª Vara Criminal da Capital, afirma que os três descumpriram as medidas cautelares impostas pelo habeas corpus que os libertou. Os ativistas integram um grupo de 23 pessoas acusadas de formação de quadrilha para suposta atuação em protestos violentos e foram presos na véspera da final da Copa do Mundo, em julho. Eles permaneceram detidos em uma cela da penitenciária de Bangu, na zona oeste carioca, por 13 dias até serem beneficiados por habeas corpus assinado pelo desembargador Siro Darlan, da 7ª Câmara Criminal do Rio.