Kátia Marinho, avó da menina apedrejada após um culto de candomblé na Vila da Penha, em reunião com o chefe da Polícia Civil, delegado Fernando Veloso

Foto: Valter Campanato/ Agência Brasil
Ministra Eleonora Menicucci (SPM); Luiza Carvalho (ONU Mulheres para Américas e Caribe); e Nadine Gasman (ONU Mulheres no Brasil) durante palestra sobre o progresso das mulheres no mundo
22 de junho de 2015
Foto: Heloisa Ballarini/SECOM
Maurício Pestana assume Secretaria de Promoção da Igualdade Racial
22 de junho de 2015
744
Compartilhe
Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil

Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil

Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil

Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil

22/06/2015- Rio de Janeiro- RJ, Brasil- Kátia Marinho, avó da menina apedrejada após um culto de candomblé na Vila da Penha, e o babalorixá Ivanir do Santos em reunião com o chefe da Polícia Civil, delegado Fernando Veloso.

Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil

Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil

Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil

Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil

22/06/2015- Rio de Janeiro- RJ, Brasil- Kátia Marinho, avó da menina de 11 anos apedrejada após um culto de candomblé na Vila da Penha, após reunião com o delegado Fernando Veloso, chefe da Polícia Civil.

Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil

Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil

22/06/2015- Rio de Janeiro- RJ, Brasil- Kátia Marinho, avó da menina de 11 anos apedrejada após um culto de candomblé na Vila da Penha, após reunião com o delegado Fernando Veloso.