Meikon Kawakami vence GP Lubrax e Brian David é campeão brasileiro da GPR 250

FOTO: BETH SANTOS/ PREFEITURA RJ
Prefeito Eduardo Paes inaugura a Casa do Jongo, em Madureira
29 de novembro de 2015
Foto: Laurent BLEVENNEC/ Elysée - Presidência da República Francesa
UE e Turquia se reúnem em cúpula focada na crise migratória, em Bruxelas
29 de novembro de 2015
328
Compartilhe
Foto: Rodrigo Ruiz/Grelak Comunicação

Foto: Rodrigo Ruiz/Grelak Comunicação

Foto: Rodrigo Ruiz/Grelak Comunicação

Foto: Rodrigo Ruiz/Grelak Comunicação

Tida como a categoria de disputas mais equilibradas do Moto 1000 GP, a GPR 250 teve neste domingo (29), no Autódromo Internacional de Curitiba, a decisão de título mais acirrada de sua história. Brian David, piloto goiano da Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros, conquistou o título da série de formação do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade a partir de sua quinta colocação no GP Lubrax, oitava e última etapa da temporada de 2015.

Na foto: Rafael Traldi empreendeu corrida de recuperação e foi ao pódio do GP Lubrax como terceiro colocado

Foto: Rodrigo Ruiz/Grelak Comunicação

Foto: Rodrigo Ruiz/Grelak Comunicação

Vencedor de quatro etapas no ano, David permitiu-se abdicar da disputa pelo primeiro lugar nas voltas finais da corrida a partir da queda sofrida por Ton Kawakami, da Playstation-PRT, com quem disputava o título. A vitória na prova coube a Meikon Kawakami, irmão e companheiro de equipe de Ton. O pódio do GP Lubrax contou ainda com Diogo Moreira, companheiro de equipe de David, e Rafael Traldi, da Motonil Motors-PDV Brasil/Usatec BSB Team.

Na foto acima: Diogo Moreira, segundo colocado, conquistou no GP Lubrax seu melhor resultado na GPR 250.

Foto: Rodrigo Ruiz/Grelak Comunicação

Foto: Rodrigo Ruiz/Grelak Comunicação

David obteve o título após quatro vitórias, um segundo e dois quintos lugares – ele finalizou a etapa curitibana em sexto e herdou a quinta posição a partir da desclassificação do companheiro de equipe José Duarte, punido pelo toque que causou a queda de Kawakami. “Foi pena a queda do Ton, a disputa estava intensa e o fim de campeonato seria bem mais bonito com ele na pista. Foi uma corrida difícil, estou feliz demais por ter chegado até aqui”, falou.

O GP Lubrax manteve o equilíbrio característico das corridas da categoria de formação de pilotos do Moto 1000 GP

Foto: Rodrigo Ruiz/Grelak Comunicação

Foto: Rodrigo Ruiz/Grelak Comunicação

Meikon Kawakami obteve em Curitiba a única vitória de 2015. “Estou contente pelo resultado, mas chateado por perdermos o título”, declarou, sobre o incidente de seu irmão. O segundo lugar foi o melhor resultado de Moreira. “Liderei, fiquei nervoso na última volta, mas foi um bom desempenho”, disse. Traldi repetiu a terceira posição da primeira etapa. “Um piloto quase me jogou para fora da pista, mas consegui voltar e buscar o pódio”, resumiu.

Na foto acima: Ton Kawakami (6) e Brian David (35) disputaram o título brasileiro da GPR 250 até a última etapa da temporada.

Foto: Rodrigo Ruiz/Grelak Comunicação

Foto: Rodrigo Ruiz/Grelak Comunicação

O título de Brian David é o primeiro da Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros na GPR 250. Em 2013, ano em que o Moto 1000 GP implantou a categoria de formação de pilotos, o gaúcho Pedro Sampaio tornou-se campeão brasileiro pela equipe Fábio Loko. Meikon Kawakami, vice-campeão de 2013, chegou ao título do ano passado defendendo a Playstation-PRT. David somou 151 pontos, contra 144 de Kawakami e 105 de Guilherme Brito, o terceiro.

Na foto acima: Ton Kawakami lamentou a queda que o tirou da disputa pelo título brasileiro de motovelocidade.

Foto: Rodrigo Ruiz/Grelak Comunicação

Foto: Rodrigo Ruiz/Grelak Comunicação

A CORRIDA
Segundo colocado no grid, Rafael Traldi assumiu a liderança na largada e, ainda antes da primeira curva, foi ultrapassado por Ton Kawakami, que tinha a quarta posição no grid. Traldi voltou a aparecer em primeiro na quarta curva do circuito, sendo novamente superado por Kawakami duas curvas mais tarde. Brian David, o pole position, completou a primeira volta na quinta colocação, atrás também de Guilherme Brito e Meikon Kawakami.

Na foto acima: Campeão de 2014, Meikon Kawakami (1) recebendo a bandeirada da vitória no GP Lubrax, neste domingo em Curitiba.

Foto: Rodrigo Ruiz/Grelak Comunicação

Foto: Rodrigo Ruiz/Grelak Comunicação

Traldi retomou o comando da prova por algumas centenas de metros na reta dos boxes na abertura da terceira volta, praticamente emparelhado com o goiano David, que já figurava em terceiro para saltar à segunda posição na reta oposta. A quarta volta marcou a perda de duas posições por David, enquanto Meikon Kawakami, irmão de Ton e campeão de 2014, assumia a vice-liderança e valorizava a estratégia de corrida da equipe Playstation-PRT.

O segundo lugar de Meikon, somado à liderança de Ton, era suficiente para a família Kawakami conquistar seu segundo título consecutivo. David era líder da prova quando o pelotão completou a quarta volta. Tinha três milésimos de vantagem sobre os Kawakami, que valeram-se da preferência do traçado e retomaram as duas primeiras colocações na frenagem ao fim da extensa reta dos boxes, que em Curitiba mede quase um quilômetro.

Na foto acima: Comemoração do campeão Brian David com a equipe Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros.

Foto: William Inácio/Grelak Comunicação

Foto: William Inácio/Grelak Comunicação

David voltou a liderar por alguns metros de corrida no complemento da volta número cinco, sendo superado por Meikon Kawakami ainda na reta dos boxes. Esta combinação de resultados dava o título ao goiano, que ainda antes do complemento da sexta volta superou o adversário da Playstation-PRT, para logo em seguida voltar a ser segundo. Quando a corrida chegou à metade os seis primeiros colocados estavam separados por oito décimos de segundo.

Meikon Kawakami, que chegou a figurar em sexto lugar, reagiu e voltou a formar dobradinha com o irmão na sétima volta da corrida, administrando os ataques que recebia de David. Guilherme Brito, parceiro de David na Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros, apresentou-se à disputa principal e abriu a volta em segundo lugar. Depois de duas curvas era o líder, com Traldi em segundo. Foi a volta de maior número de trocas de posições no GP Lubrax.

No pódio do GP Lubrax, o vencedor Meikon Kawakami com seu chefe de equipe Alan Douglas, Diogo Moreira e Rafael Traldi

Foto: William Inácio/Grelak Comunicação

Foto: William Inácio/Grelak Comunicação

O complemento da oitava volta de corrida apresentava David à frente e Kawakami, buscando a liderança e o título, superando-o na linha de chegada. A disputa tornou-se dramática quando um toque de braços com José Duarte fez com que Ton Kawakami perdesse o equilíbrio e sofresse uma queda – que significou sua retirada da corrida. Guilherme Brito assumiu o comando da etapa e foi superado logo em seguida por Meikon Kawakami.

A diferença entre o líder Kawakami e Traldi, que ocupava o sexto lugar, era de menos de um segundo quando os pilotos abriram a última volta. David, a essa altura, dependia do 11º lugar na corrida para ser campeão brasileiro da categoria de formação de pilotos do Moto 1000 GP e passou a acompanhar a uma distância segura, em sexto, a disputa pelo primeiro lugar. Diogo Moreira e Guilherme Brito abriram a volta final nas duas primeiras posições.

Meikon Kawakami reassumiu o primeiro lugar na corrida na abertura da última volta, recebendo pressão de Rafael Traldi. A aproximação para o “S” de alta velocidade marcou a ultrapassagem de Moreira sobre Traldi, que perderia o terceiro lugar para Duarte sofrendo a ultrapassagem na linha de chegada, por oito milésimos de segundo. Duarte, contudo, foi desclassificado pela direção de prova, por conta do toque com Ton Kawakami na nona volta.

Pódio da classificação final da temporada, com o campeão Brian David, Ton Kawakami, Guilherme Brito e o chefe da equipe campeã Gastão Fráguas Filho

 

CLASSIFICAÇÃO
A classificação do campeonato, já computado o descarte obrigatório de um resultado por piloto, é: 1º) Brian David, 151 pontos; 2º) Ton Kawakami, 144; 3º) Guilherme Brito, 105; 4º) Diogo Moreira, 82; 5º) José Duarte, 81; 6º) Meikon Kawakami, 78; 7º) Rafael Traldi, 75; 8º) Felipe Gonçalves, 36; 9º) Hebert Pereira, 29; 10º) Indy Muñoz, 21; 11º) Giovandro Tonini, 20; 12º) Gustavo Gil, 18; 13º) Niko Ramos, 17; 14º) Cláudio Aleixo, 11; 15º) Marcelo Fernandes, 8.