Morte de cinegrafista no Rio de Janeiro esquenta debate sobre tipificação do crime de terrorismo

Foto: Luis Macedo/ Câmara dos Deputados
Em Brasília, profissionais de imprensa fazem ato em homenagem ao cinegrafista Santiago Andrade
10 de fevereiro de 2014
Foto: Juan Commitante/ Secretaría de Comunicación- Presidencia Uruguay (09/02/2014)
Enchentes nas cidades de Canelones e Maldonado, no Uruguai
10 de fevereiro de 2014
373
Compartilhe
Foto: Pedro França/ Agência Senado

Foto: Pedro França/ Agência Senado

Brasília- DF, 10/02/2014- A morte do cinegrafista Santiago Andrade, atingido por um rojão durante protestos na semana passada no Rio de Janeiro, acrescentou um novo elemento à discussão do projeto que tipifica o crime de terrorismo (PLS 499/2013). O Plenário do Senado pode começar a examinar a polêmica matéria nesta terça-feira (11/02). Senador Alvaro Dias (PSDB-PR) cobra “providências drásticas” contra pessoas que participam de manifestações para agredir e promover a violência.

Foto: Pedro França/ Agência Senado

Foto: Pedro França/ Agência Senado

Brasília- DF, 10/02/2014- O senador Jorge Viana (PT-AC) afirmou ser possível fechar a semana com a aprovação do projeto. Na avaliação de Viana, a ação que resultou na morte do cinegrafista se encaixa perfeitamente na definição de terrorismo que consta do PLS 499/2013, “provocar ou difundir terror ou pânico generalizado mediante ofensa ou tentativa de ofensa à vida, à integridade física ou à saúde ou à privação da liberdade de pessoa”, inclusive com previsão de pena maior quando há emprego de “explosivo, fogo, arma química, biológica ou radioativa, ou outro meio capaz de causar danos ou promover destruição em massa”. Senador Paulo Paim (PT-RS) critica ações violentas em protestos.

Foto: Pedro França/ Agência Senado

Foto: Pedro França/ Agência Senado

Brasília- DF, 10/02/2014- O senador Paulo Paim (PT-RS), que havia sugerido a análise da proposta pela Comissão de Direitos Humanos (CDH), o que adiaria a votação no Plenário, desistiu de seu requerimento diante da morte de Santiago. Senador Jorge Viana (PT-AC) defende que o Plenário vote com urgência projeto que tipifica crime de terrorismo.

Foto: Pedro França/ Agência Senado

Foto: Pedro França/ Agência Senado

Brasília- DF, 10/02/2014- Senadora Ana Amélia (PP-RS) diz que “a morte do cinegrafista do grupo Bandeirantes, Santiago Andrade, não pode ficar impune”. O cinegrafista foi atingido por rojão quando fazia a cobertura de manifestação contra o aumento da passagem de ônibus, no Rio de Janeiro.

Foto: Jonas Pereira/ Agência Senado

Foto: Jonas Pereira/ Agência Senado

Brasília- DF, 10/02/2014- Sem mencionar especificamente o projeto do terrorismo, o presidente do Senado, Renan Calheiros, afirmou, ao comentar a morte do cinegrafista, que o Congresso vai fazer a sua parte no sentido de agravar a punição para atos desse tipo.