São Paulo – Parceria para ampliar a oferta de leitos exclusivos para o tratamento de pacientes com Covid-19

Prefeitura faz distribuição de máscaras em estações de transbordo e orienta população
24 de abril de 2020
O Governador do Estado de São Paulo João Doria durante coletiva de imprensa sobre o combate ao Coronavírus.
24 de abril de 2020
291
Compartilhe

São Paulo SP-A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal da Saúde, anunciou na manhã desta sexta-feira (24/4), uma parceria com o Hospital da Cruz Vermelha Brasileira, na Zona Sul da cidade, para ampliar a oferta de leitos exclusivos para o tratamento de pacientes com covid-19 e atender à crescente demanda por leitos no município. Segundo o prefeito Bruno Covas, a Cruz Vermelha é parceira da Prefeitura não só na area na Assistência Social, mas também na Saúde. “Esse hospital estava fechado por conta da pandemia do coronavírus. Vamos reabrir como um hospital referenciado com um custeio mensal de cerca de R$ 3 milhões. É um hospital que entra no nosso sistema de regulação e as pessoas que precisarem de atendimento serão encaminhadas”, explicou Covas. Nesse primeiro momento, serão 54 leitos, sendo 20 de UTIs, 30 de apoio na enfermaria, um de estabilização e três de admissão. A unidade tem capacidade para expansão gradativa até 75 leitos, sendo 40 de UTIs, na medida em que os equipamentos necessários estejam disponíveis. A unidade conta com Setor de Imagem com tomografia para apoio diagnóstico e realizará exames laboratoriais.

O prédio do hospital tem 3 mil m², três andares e mais o subsolo. Hoje o Hospital conta com 110 médicos (infectologistas, intensivistas, neurologistas, nefrologistas, urologista, cirurgiões gerais e cirurgiões plásticos), mais 268 profissionais entre administrativos, apoio e assistencial e aumentará seu quadro de profissionais de forma a atender à crescente demanda. No lado externo, anexo ao prédio do hospital, foram instalados dois contêineres refrigerados com capacidade de abrigar, no total, 24 corpos. E outros quatro contêineres irão servir de base para tarefas administrativas e de apoio às famílias.Foto Marcelo Pereira/ Secon

Marcelo Pereira/ Secon

Marcelo Pereira/ Secon

Marcelo Pereira/ Secon