No município de Pedra Preta (238 km ao Sul de Cuiabá), na Fazenda Bom Jesus, uma visita técnica na Unidade Demonstrativa (UD) sobre a cultura do trigo irrigado.

Sánchez viaja para Alicante e Múrcia para conhecer os efeitos das enchentes
16 de setembro de 2019
El Presidente de la Nación, Mauricio Macri, junto al Embajador argentino ante UNESCO
16 de setembro de 2019
267
Compartilhe

Pedra Preta MT 16 09 2019 No município de Pedra Preta (238 km ao Sul de Cuiabá), na Fazenda Bom Jesus, uma visita técnica na Unidade Demonstrativa (UD) sobre a cultura do trigo irrigado. O coordenador da Câmara Técnica do Trigo (CTT) e pesquisador da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Hortêncio Paro, esclarece que seis materiais genéticos de trigo foram apresentados com potencial produtivo para Mato Grosso e com estimativa de produção acima de 70 sacas por hectare.O evento foi direcionado a estudantes de agronomia, empresários, pesquisadores, produtores rurais, profissionais de assistência técnica e extensão rural e outros. Paro esclarece que o trabalho de validação de tecnologia que testa o sistema de produção está utilizando as variedades para trigo irrigado CD 151, CD 1252, CD 1104, Sintonia, BRS 404 e Toruk.“A UD foi implantada numa área de 1.500 metros quadrados com variedades que demonstram a potencialidade do trigo irrigado na região de Rondonópolis”, enfatiza.Conforme Paro, o trabalho de pesquisa tem comprovado a viabilidade técnica do cultivo do cereal em Mato Grosso e a qualidade do trigo colhido, que pode atingir de 40 a 50% de força de glúten. Esse teor de glúten é considerado adequado comercialmente, visto que o percentual mínimo é de 25%. Ele explica que os valores de percentual de glúten são cruciais para fabricação de produtos diferenciados, como pão, massas e farinhas. O que falta hoje, segundo Paro, é a garantia de que a produção tenha um destino certo e um preço mínimo para o produtor rural.foto : Mayke Toscano

Mayke Toscano

Mayke Toscano

Mayke Toscano

Mayke Toscano