No Paraná, efetivo policial continuará mobilizado em Londrina

Foto: Nasa
Lente peixe de olho registra vista da Terra na Estação Espacial
17 de fevereiro de 2016
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Cristovam Buarque anuncia sua desfiliação do PDT e entrada no PPS
17 de fevereiro de 2016
284
Compartilhe
Foto: Osvaldo Ribeiro/SESP

Foto: Osvaldo Ribeiro/SESP

Foto: Osvaldo Ribeiro/SESP

Foto: Osvaldo Ribeiro/SESP

17/02/2016- Curitiba- PR, Brasil- Apesar do término do prazo para a atuação da força-tarefa montada pela Secretaria de Estado da Segurança Pública e Administração Penitenciária, a cidade de Londrina, no Norte do Paraná, continuará com efetivo policial mobilizado para ampliar o patrulhamento ostensivo e preventivo. Decisão foi anunciada pelo secretário de Estado da Segurança Pública e Administração Penintenciária, Wagner Mesquita, nesta quarta-feira (17), na mesma coletiva em que foi apresentada a redução nos índices de homicídios dolosos no Paraná.

Foto: Osvaldo Ribeiro/SESP

Foto: Osvaldo Ribeiro/SESP

17/02/2016- Curitiba- PR, Brasil- São mais de 100 policiais militares deslocados de outros batalhões da região para reforçar o trabalho policial em Londrina. Os delegados da Polícia Civil designados para investigar as recentes mortes na cidade também permanecem à frente dos inquéritos. Desde que a força-tarefa foi montada, no início do mês, a segunda maior cidade do Paraná registrou apenas uma nova ocorrência de crime contra a vida (latrocínio). Durante os dez dias de atuação, os policiais militares e civis prenderam 75 suspeitos de crimes como latrocínio, tráfico, furto, roubo e porte ilegal de arma, entre prisões em flagrante e cumprimentos de mandados. A média de roubos praticados na cidade caiu 43%.

Foto: Osvaldo Ribeiro/SESP

Foto: Osvaldo Ribeiro/SESP

17/02/2016- Curitiba- PR, Brasil- A apuração dos casos de assassinato na cidade está sendo tratada como prioridade pelas equipes da Polícia Civil, que está com as investigações em estágio avançado. “Estes casos são prioridade para a Segurança Pública do Paraná. Pela complexidade da investigação de casos de homicídio, temos que reunir provas irrefutáveis para identificar a autoria de todos os responsáveis”, disse o secretário da Segurança Pública e Administração Penitenciária do Paraná, Wagner Mesquita.

Foto: Osvaldo Ribeiro/SESP

Foto: Osvaldo Ribeiro/SESP

17/02/2016- Curitiba- PR, Brasil- A Secretaria da Segurança Pública e Administração Penitenciária reafirma que, de acordo com os setores de inteligência policial, não há até o momento nenhuma ordem de facção criminosa para cometer assassinatos na cidade.