O artista plástico Salomão Zalcbergas no universo mágico do Vale do Capão, na Chapada Diamantina

Felipe Drugovich contabiliza sete vitórias e 100% de pódios no Euroformula F3 Open
14 de julho de 2018
Primeira-dama Melania Trump e Philip May, marido da primeira-ministra britânica Theresa May, visitam o Royal Hospital Chelsea
14 de julho de 2018
2572
Compartilhe

O artista plástico Salomão Zalcbergas é paulista, mas sua carreira se desenvolveu na Bahia, onde cursou Belas Artes na Universidade Federal da Bahia. Seus trabalhos em acrílica sobre tela e painéis ao ar livre são bastante conhecidos, especialmente no universo mágico do Vale do Capão, na Chapada Diamantina, Bahia, onde vive e cria suas obras.
Em meio à natureza exuberante da Chapada, sua paleta de lilases, rosas e azuis suaves percorre os espaços a céu aberto, contando histórias pelas fachadas das casinhas, igrejas, muros, pousadas. Quem passa por lá, logo percebe a presença de Salomão Zalcbergas.
Suas pinturas contam “causos” sobre a gente nativa do lugar em cenas do cotidiano, durante os ciclos do ouro, do diamante, do café. São festas, enterros, a lida no campo e na cozinha, a mata, as cachoeiras, os produtos da terra.
Os pincéis de Salomão são íntimos dos personagens, que já foram (ou são) de carne e osso, como na tela “O Descanso de Rita”, “Lia e Dona Lair no Fogão de Lenha II”, e centenas de outros, eternizados nessa vasta e rica obra. Como não lembrar do “Baile na Roça”, de Portinari? Das festas de São João de Anita Malfatti e Guignard? fotos Agliberto Lima

Agliberto Lima

Agliberto Lima

Agliberto Lima

Agliberto Lima

Agliberto Lima

Agliberto Lima

Agliberto Lima

Agliberto Lima