O curioso caso de supernovas ricas em cálcio

Morro da Capelinha já recebe público para a via-sacra
30 de março de 2018
Vladimir Putin realizou uma reunião com membros permanentes do Conselho de Segurança.
30 de março de 2018
396
Compartilhe

Esta imagem, capturada pela Advanced Camera for Surveys (ACS) no Telescópio Espacial Hubble da NASA / ESA, mostra a galáxia espiral NGC 5714, a cerca de 130 milhões de anos-luz de distância, na constelação de Boötes (o Pastor). O NGC 5714 é classificado como uma galáxia espiral Sc, mas seus braços espirais – a característica dominante das galáxias espirais – são quase impossíveis de se ver, já que o NGC 1787 se apresenta em um ângulo quase perfeito.

 
Descoberto por William Herschel em 1787, o NGC 5714 foi anfitrião de um evento fascinante e raro em 2003. Uma leve supernova apareceu a cerca de 8.000 anos-luz abaixo da protuberância central da NGC 5714. As supernovas são as enormes e violentas explosões de estrelas agonizantes e uma que explodiu em NGC 5714 – não visível nesta imagem muito posterior – foi classificada como uma supernova Tipo Ib / c e denominada SN 2003dr. Foi particularmente interessante porque seu espectro mostrou fortes assinaturas de cálcio.

 
Supernovas ricas em cálcio são raras e, portanto, de grande interesse para os astrônomos. Os astrônomos ainda lutam para explicar essas explosões específicas, já que sua existência representa um desafio para a observação e a teoria. Em particular, sua aparência fora das galáxias, sua baixa luminosidade em comparação com outras supernovas, e sua rápida evolução ainda são questões abertas para os pesquisadores.

 
Créditos: ESA / Hubble e NASA

Créditos: ESA / Hubble e NASA