O Distrito Federal aderiu nesta quarta-feira (14) ao projeto Audiência de Custódia, que prevê a apresentação de pessoa presa em flagrante, nas 24 horas seguintes ao fato, diante de juiz, promotor de Justiça e defensor público

Foto: Lucas Uebel/ Grêmio FBPA
Jogadores do Grêmio realizam treino durante a manhã desta quarta-feira na Arena, em Porto Alegre
14 de outubro de 2015
Foto: Jorge Mamani/ ABI
O presidente da Bolívia, Evo Morales, durante entrevista coletiva no Palácio do Governo
14 de outubro de 2015
331
Compartilhe
Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

 

Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

14/10/2015 – Brasília – DF – O Distrito Federal aderiu nesta quarta-feira (14) ao projeto Audiência de Custódia, que prevê a apresentação de pessoa presa em flagrante, nas 24 horas seguintes ao fato, diante de juiz, promotor de Justiça e defensor público. Entre os principais objetivos está frear o aumento do índice de presos provisórios (ainda sem condenação definitiva), o que representa 40% da população carcerária nacional, segundo o Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Participaram da solenidade o presidente do Supremo Tribunal Federal(STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Ricardo Lewandowski, o presidente do Tibunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios(TJDFT), desembargador Getúlio de Moraes Oliveira, e o governador Rodrigo Rollemberg.

Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

Foto: Dênio Simões/Agência Brasília