Observatório Espacial Europeu testa robôs no deserto do Atacama, no Chile

No Rio, ACADEPOL realiza seminário sobre segurança em grandes eventos
14 de outubro de 2013
Foto: Caroline Bicocchi/ GERS
Governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, recebe os pais da ativista do Greenpeace presa na Rússia
14 de outubro de 2013
468
Compartilhe
Foto: Gerhard Huedepohl/ ESO

Foto: Gerhard Huedepohl/ ESO

Foto: Gerhard Huedepohl/ ESO

Foto: Gerhard Huedepohl/ ESO

No início de outubro de 2013, o Deserto de Atacama se tornou o local de uma simulação de Marte por uma semana. Uma equipe de cientistas e engenheiros visitaram a área para testar seu protótipo de um robô, que irá explorar o planeta Marte.

Foto: Gerhard Huedepohl/ ESO

Foto: Gerhard Huedepohl/ ESO

O campo de testes está localizado próximo ao Observatório do ESO e foi selecionado devido ao seu clima severo e sua semelhança física com o planeta vermelho. Além disso, o deserto de Atacama é conhecido por seu solo praticamente estéril, em grande parte devido à falta de umidade na região: o que torna a área particularmente adequado para simular o ambiente marciano sem vida.

Foto: Gerhard Huedepohl/ ESO

Foto: Gerhard Huedepohl/ ESO

O projeto visa dar à equipe a  experiência em primeira mão de operar remotamente um robô, e aquisição de dados de campo a partir dos três instrumentos durante um ensaio de campo. A operação será executada de modo a ser o mais próximo a uma missão real possível para a equipe da ciência e do centro de controle remoto. Testes em paralelo está ocorrendo do centro de controle remoto do Reino Unido com base nas aplicações de satélites Catapult Centre em Harwell.

Foto: Gerhard Huedepohl/ ESO

Foto: Gerhard Huedepohl/ ESO

Para aumentar ainda mais o realismo da missão simulada, a equipe também usou um veículo aéreo não tripulado (VANT ou drones) para o levantamento da área do céu, fornecendo um modelo digital de elevação para ajudar a equipe com a navegação do robô. Isto é semelhante à forma em que os dados são adquiridos da órbita de Marte.