Os 52 médicos e enfermeiros cubanos que combateram o COVID-19 na Lombardia chegaram a Havana

Treino realizado nesta manhã, na Toca da Raposa II, em Belo Horizonte.
9 de junho de 2020
Jogadores do Gremio realizam treino durante esta terca-feira
9 de junho de 2020
273
Compartilhe

Dois meses e 17 dias atrás, quando o COVID-19 ameaçava a Europa, 52 profissionais médicos cubanos estavam deixando a ilha para o epicentro de uma pandemia quase desconhecida: a Lombardia italiana. Naquele momento, Rafael Correa escreveu no Twitter que um dia contaríamos a nossos filhos o filme sobre quando a humanidade precisava de ajuda e os médicos cubanos começaram a chegar. Hoje, outro capítulo desse filme é escrito. Pouco antes das 19 horas da segunda-feira, a primeira brigada “Henry Reeve” para ajudar a Europa a desembarcar em Havana.

Com um total de 516 pacientes atendidos, 5 526 serviços médicos, 3 676 procedimentos de enfermagem e 219 vidas salvas, colaboradores cubanos chegaram ao aeroporto José Martí na capital que, do terminal 5, foram transferidos para o centro La Pradera para atender 14 dias de isolamento.

Regreso de Brigada Médica cubana de Italia. Foto Ismael Francisco / Cubadebate

Foto Ismael Francisco / Cubadebate

Foto Ismael Francisco / Cubadebate

Foto Ismael Francisco / Cubadebate

Foto Ismael Francisco / Cubadebate

Foto Ismael Francisco / Cubadebate

Foto Ismael Francisco / Cubadebate

Foto Ismael Francisco / Cubadebate