Painel Afro-brasileiro é inaugurado no Largo Glênio Peres, em Porto Alegre

Foto: Fellipe Sampaio / SCO/ STF
STF remarca audiência de mediação sobre Sistema Cantareira para a próxima quinta (27/11)
20 de novembro de 2014
Foto: Luis Macedo/ Câmara dos Deputados
Homenagem ao Dia Mundial de Oração e Ação pelas Crianças, na Câmara dos Deputados
20 de novembro de 2014
873
Compartilhe
Foto: Anselmo Cunha/ PMPA

Foto: Anselmo Cunha/ PMPA

Foto: Anselmo Cunha/ PMPA

Foto: Anselmo Cunha/ PMPA

20/11/2014- Porto Alegre- RS, Brasil- Uma obra de arte pública, a céu aberto e que valorizou o Largo Glênio Peres foi inaugurada nesta quinta-feira, 20, marcando as comemorações do Dia da Consciência Negra. O Painel Afro-brasileiro, uma concepção de Pelópidas Thebano, com execução de Vinicius Vieira, integra a quarta etapa do Museu de Percurso do Negro em Porto Alegre. Feito na técnica mosaico cerâmico, o painel com 95 cm x 600 cm é uma realização do Grupo de Trabalho Angola Janga, Ministério da Cultura e Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, e tem o apoio da Secretaria Municipal da Cultura.

Foto: Anselmo Cunha/ PMPA

Foto: Anselmo Cunha/ PMPA

20/11/2014- Porto Alegre- RS, Brasil- O evento, no Centro Histórico, reuniu entidades de apoio ao povo negro, grupos artísticos, de capoeira e autoridades. O prefeito em exercício, Professor Garcia, a secretária adjunta do Povo Negro, Elisete Moretto, o adjunto da Cultura, Vinícius Caurio, e o secretário da Juventude, Luizinho Martins. “Este ato representa muito mais do que a inauguração de uma obra de arte. Estamos imortalizando a luta deste povo que faz parte da nossa história, da construção da nossa cidade”, afirmou Professor Garcia

Foto: Anselmo Cunha/ PMPA

Foto: Anselmo Cunha/ PMPA

20/11/2014- Porto Alegre- RS, Brasil- O Museu de Percurso do Negro, é um projeto que busca visibilizar a comunidade afro-brasileira com a construção de obras de arte em espaços públicos da cidade. O desenvolvimento partiu das reivindicações da comunidade negra local, onde sua falta de representatividade no patrimônio cultural remete à invisibilidade social desta parcela da população.

Foto: Anselmo Cunha/ PMPA

Foto: Anselmo Cunha/ PMPA

20/11/2014- Porto Alegre- RS, Brasil- O projeto estabelece visualização e fruição de espaços marcantes para a etnia negra do ponto de vista da memória, da identidade e da cidadania, gerando percursos através da construção de obras públicas que referendem a passagem dos ancestrais por lugares territorializados pela comunidade negra na cidade de Porto Alegre.

Foto: Anselmo Cunha/ PMPA

Foto: Anselmo Cunha/ PMPA

20/11/2014- Porto Alegre- RS, Brasil- O Percurso do Negro em Porto Alegre, evoca a presença, a memória, o protagonismo social e cultural dos africanos e descendentes no Centro Histórico da cidade de Porto Alegre, cuja pesquisa histórico antropológica indicou os lugares vivenciados pelos negros, a fim de elaborar objetos de arte representativos.

Foto: Anselmo Cunha/ PMPA

Foto: Anselmo Cunha/ PMPA

20/11/2014- Porto Alegre- RS, Brasil- Entre esses lugares estão, além do Largo Glênio Peres, o Cais do Porto e antigos Ancoradouros, o Largo da Quitanda (Praça da Alfândega),  Pelourinho (Igreja das Dores), Largo da Forca (Praça Brigadeiro Sampaio) e Esquina do Zaire (Av. Borges de Medeiros com Rua da Praia).

Foto: Anselmo Cunha/ PMPA

Foto: Anselmo Cunha/ PMPA