Parada vai às ruas com orgulho e pede mais paz e respeito, no Pará

Atuação da Assembleia de Deus é elogiada em Congresso de Mulheres
30 de outubro de 2017
Detentos participam de curso em unidade prisional, no Pará
30 de outubro de 2017
489
Compartilhe
16ª Parada do Orgulho LGBTI de Belém, que teve como tema “Juventude e População LGBTI: Consciente e Prevenida no Combate ao HIV”. A parada é um evento politico através de muitas cores e muita música. A Escola de Samba Rancho Não Posso Me Amofiná fez sua homenagem levando a bateria e a ala das baianas para saudar a parada. A mulher trans Rayanne Cristine, 24 anos (foto), foi modelo da campanha institucional do Governo do Estado pela diversidade, lançada no primeiro semestre. FOTO: CARLOS SODRÉ / AG. PARÁ DATA: 29.10.2017 BELÉM – PARÁ

16ª Parada do Orgulho LGBTI de Belém, que teve como tema “Juventude e População LGBTI: Consciente e Prevenida no Combate ao HIV”. A parada é um evento politico através de muitas cores e muita música. A Escola de Samba Rancho Não Posso Me Amofiná fez sua homenagem levando a bateria e a ala das baianas para saudar a parada. Na foto, a cantora Joelma Klaudia cantou o hino nacional na abertura. FOTO: CARLOS SODRÉ / AG. PARÁ DATA: 29.10.2017 BELÉM – PARÁ

16ª Parada do Orgulho LGBTI de Belém, que teve como tema “Juventude e População LGBTI: Consciente e Prevenida no Combate ao HIV”. A parada é um evento politico através de muitas cores e muita música. A Escola de Samba Rancho Não Posso Me Amofiná fez sua homenagem levando a bateria e a ala das baianas para saudar a parada. FOTO: CARLOS SODRÉ / AG. PARÁ DATA: 29.10.2017 BELÉM – PARÁ

16ª Parada do Orgulho LGBTI de Belém, que teve como tema “Juventude e População LGBTI: Consciente e Prevenida no Combate ao HIV”. A parada é um evento politico através de muitas cores e muita música. A Escola de Samba Rancho Não Posso Me Amofiná fez sua homenagem levando a bateria e a ala das baianas para saudar a parada. A secretária de Estado de Esporte e Lazer, Renilce Nicodemos (foto), foi eleita a madrinha da 16º Parada do Orgulho LGBTI e foi de branco pedir paz e respeito à população LGBT. FOTO: CARLOS SODRÉ / AG. PARÁ DATA: 29.10.2017 BELÉM – PARÁ

16ª Parada do Orgulho LGBTI de Belém, que teve como tema “Juventude e População LGBTI: Consciente e Prevenida no Combate ao HIV”. A parada é um evento politico através de muitas cores e muita música. A Escola de Samba Rancho Não Posso Me Amofiná fez sua homenagem levando a bateria e a ala das baianas para saudar a parada. FOTO: CARLOS SODRÉ / AG. PARÁ DATA: 29.10.2017 BELÉM – PARÁ

16ª Parada do Orgulho LGBTI de Belém, que teve como tema “Juventude e População LGBTI: Consciente e Prevenida no Combate ao HIV”. A parada é um evento politico através de muitas cores e muita música. A Escola de Samba Rancho Não Posso Me Amofiná fez sua homenagem levando a bateria e a ala das baianas para saudar a parada. FOTO: CARLOS SODRÉ / AG. PARÁ DATA: 29.10.2017 BELÉM – PARÁ

16ª Parada do Orgulho LGBTI de Belém, que teve como tema “Juventude e População LGBTI: Consciente e Prevenida no Combate ao HIV”. A parada é um evento politico através de muitas cores e muita música. A Escola de Samba Rancho Não Posso Me Amofiná fez sua homenagem levando a bateria e a ala das baianas para saudar a parada. A presidente da Funtelpa, Adelaide Oliveira (foto) tem a cara da Parada LGBTI. Há 16 anos ela participa como público, realizando campanhas, já foi madrinha, e durante muitos anos vem apresentando o evento FOTO: CARLOS SODRÉ / AG. PARÁ DATA: 29.10.2017 BELÉM – PARÁ

16ª Parada do Orgulho LGBTI de Belém, que teve como tema “Juventude e População LGBTI: Consciente e Prevenida no Combate ao HIV”. A parada é um evento politico através de muitas cores e muita música. A Escola de Samba Rancho Não Posso Me Amofiná fez sua homenagem levando a bateria e a ala das baianas para saudar a parada. FOTO: CARLOS SODRÉ / AG. PARÁ DATA: 29.10.2017 BELÉM – PARÁ