Peixes mortos são retirados da Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio

Cerimônia em Comemoração aos 10 Anos do Centro de Cardiologia do Hospital Sírio-Libanês
21 de dezembro de 2018
Grinalda de férias cósmica do Hubble
21 de dezembro de 2018
382
Compartilhe

A Companhia de Limpeza Urbana (Comlurb) recolhe toneladas de peixes mortos da Lagoa Rodrigo de Freitas, zona sul do Rio de Janeiro. A mortandade atingiu principalmente as savelhas, peixes mais fracos quando falta oxigenação na água.

A Companhia de Limpeza Urbana (Comlurb) recolhe toneladas de peixes mortos da Lagoa Rodrigo de Freitas, zona sul do Rio de Janeiro. A mortandade atingiu principalmente as savelhas, peixes mais fracos quando falta oxigenação na água.Foto Tânia Rêgo/Agência Brasil

A Companhia de Limpeza Urbana (Comlurb) recolhe toneladas de peixes mortos da Lagoa Rodrigo de Freitas, zona sul do Rio de Janeiro. A mortandade atingiu principalmente as savelhas, peixes mais fracos quando falta oxigenação na água.Foto Tânia Rêgo/Agência Brasil

A Companhia de Limpeza Urbana (Comlurb) recolhe toneladas de peixes mortos da Lagoa Rodrigo de Freitas, zona sul do Rio de Janeiro. A mortandade atingiu principalmente as savelhas, peixes mais fracos quando falta oxigenação na água.Foto Tânia Rêgo/Agência Brasil

A Companhia de Limpeza Urbana (Comlurb) recolhe toneladas de peixes mortos da Lagoa Rodrigo de Freitas, zona sul do Rio de Janeiro. A mortandade atingiu principalmente as savelhas, peixes mais fracos quando falta oxigenação na água.Foto Tânia Rêgo/Agência Brasil

A Companhia de Limpeza Urbana (Comlurb) recolhe toneladas de peixes mortos da Lagoa Rodrigo de Freitas, zona sul do Rio de Janeiro. A mortandade atingiu principalmente as savelhas, peixes mais fracos quando falta oxigenação na água.Foto Tânia Rêgo/Agência Brasil

A Companhia de Limpeza Urbana (Comlurb) recolhe toneladas de peixes mortos da Lagoa Rodrigo de Freitas, zona sul do Rio de Janeiro. A mortandade atingiu principalmente as savelhas, peixes mais fracos quando falta oxigenação na água.Foto Tânia Rêgo/Agência Brasil

A Companhia de Limpeza Urbana (Comlurb) recolhe toneladas de peixes mortos da Lagoa Rodrigo de Freitas, zona sul do Rio de Janeiro. A mortandade atingiu principalmente as savelhas, peixes mais fracos quando falta oxigenação na água.Foto Tânia Rêgo/Agência Brasil

A Companhia de Limpeza Urbana (Comlurb) recolhe toneladas de peixes mortos da Lagoa Rodrigo de Freitas, zona sul do Rio de Janeiro. A mortandade atingiu principalmente as savelhas, peixes mais fracos quando falta oxigenação na água.Foto Tânia Rêgo/Agência Brasil