Maior encontro mundial sobre prevenção ao crime e justiça criminal
12 de março de 2021
Estreito de Gibraltar
12 de março de 2021
227
Compartilhe

Nestled amongst the vast clouds of star-forming regions like this one lie potential clues about the formation of our own Solar System.  This week’s NASA/ESA Hubble Space Telescope Picture of the Week features AFGL 5180, a beautiful stellar nursery located in the constellation of Gemini (The Twins).  At the centre of the image, a massive star is forming and blasting cavities through the clouds with a pair of powerful jets, extending to the top right and bottom left of the image. Light from this star is mostly escaping and reaching us by illuminating these cavities, like a lighthouse piercing through the storm clouds. Stars are born in dusty environments and although this dust makes for spectacular images, it can prevent astronomers from seeing stars embedded in it. Hubble’s Wide Field Camera 3 (WFC3) instrument is designed to capture detailed images in both visible and infrared light, meaning that the young stars hidden in vast star-forming regions like AFGL 5180 can be seen much more clearly.   

Pelas nuvens
Aninhado entre as vastas nuvens de regiões de formação de estrelas como esta, encontram-se pistas potenciais sobre a formação de nosso próprio Sistema Solar.

A Imagem da Semana do Telescópio Espacial Hubble da NASA / ESA apresenta o AFGL 5180, um lindo berçário estelar localizado na constelação de Gêmeos (Os Gêmeos).

No centro da imagem, uma estrela massiva está se formando e abrindo cavidades através das nuvens com um par de jatos poderosos, estendendo-se para a parte superior direita e inferior esquerda da imagem. A luz desta estrela está escapando e chegando até nós iluminando essas cavidades, como um farol que atravessa as nuvens de tempestade.

As estrelas nascem em ambientes empoeirados e, embora essa poeira dê origem a imagens espetaculares, ela pode impedir que os astrônomos vejam estrelas embutidas nela. O instrumento Wide Field Camera 3 (WFC3) do Hubble foi projetado para capturar imagens detalhadas em luz visível e infravermelha, o que significa que as estrelas jovens escondidas em vastas regiões de formação estelar como AFGL 5180 podem ser vistas com muito mais clareza.

Créditos: ESA / Hubble e NASA, J. C. Tan (Chalmers University e University of Virginia), R. Fedriani (Chalm