Prefeito determina início das barreiras sanitárias e testagem em massa nas divisas de São Sebastião

Governo realiza segundo dia de vacinação para agentes de segurança pública do Pará
22 de março de 2021
Exames de qualificação de tripulação da expedição 65 
22 de março de 2021
111
Compartilhe

Felipe Augusto determina início das barreiras sanitárias e testagem em massa nas divisas de São Sebastião

Objetivo é conter chegada de turistas contaminados por Covid no feriadão prolongado de São Paulo

São Sebastião começou nesta segunda-feira (22), em Boraceia, Costa Sul, na divisa com Bertioga, as barreiras sanitárias, com testagem rápida em massa, para tentar reduzir o aumento dos números de casos da Covid-19, ocorrido nas últimas semanas.

O prefeito, Felipe Augusto, decidiu pela medida preventiva diante da disparada dos números de casos na cidade e com o anúncio do feriadão pelo prefeito de São Paulo, Bruno Covas, que seguirá de 25 de março a 2 de abril, na Sexta-feira Santa. A cidade tem 41 pessoas internadas, 10 intubadas; 89 óbitos e testou quase 40% de sua população, um dos maiores índices do país.

São Sebastião também fará bloqueios sanitários na divisa com a cidade de Caraguatatuba, no bairro Canto do Mar. O município anunciou, recentemente, restrição total em função da gravidade do momento atual da pandemia. A cidade quase ficou sem sedativo necessário à intubação de pacientes e foi socorrida com 100 ampolas de Pancurônio, viabilizadas pelo governo do Estado. A cidade fez a mesma solicitação ao governo federal e junto aos fornecedores, que alegam falta de insumos para fabricação dos medicamentos usados em pacientes em estado grave.

Se o teste indicar que o visitante está contaminado pelo novo coronavírus (Covid-19), a entrada será impedida como forma de prevenção à propagação da doença no município. De acordo com o prefeito, a prefeitura usará todos os meios legais no enfrentamento à pandemia, que ele define como uma nova pandemia, considerando que o poder de contaminação da nova variação do vírus mostra-se mais rápido, assim como o prazo para o agravamento do quadro clínico do paciente também foi reduzido e em poucos dias a pessoa contaminada pode evoluir para situação grave.

“Tomamos essa decisão para proteger o cidadão sebastianense. Temos que nos precaver de todas as formas e evitar um colapso na saúde”, Afirmou Felipe Augusto, lembrando que a cidade está com a observação e a emergência lotados e que mais pacientes podem subir para a UTI, que também está quase no limite.

A Prefeitura de São Sebastião realiza a barreira sanitária e testagem, por meio das secretarias de Saúde (SESAU) – Departamento de Vigilância em Saúde (Sanitária e Epidemiológica), Fundação de Saúde Pública de São Sebastião (FSPSS), Segurança Urbana (SEGUR), Guarda Civil Municipal (GCM), Departamento de Tráfego (DETRAF) e Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (COMDEC).