Presidente do Perú Pedro Pablo Kuczynski faz pronunciamento a nação

Paolo Gentiloni, participa do Conselho Europeu com Macron e Merkel
16 de dezembro de 2017
Palestra aborda iniciativas de prevenção à doença de Chagas, no Pará
16 de dezembro de 2017
476
Compartilhe

O presidente da República, Pedro Pablo Kuczynski, foi firme ao assegurar que ele não ficaria intimidado, pois ele é um homem honesto e tem sido toda a sua vida pessoal e profissional.

“Estou aqui para lhe dizer: não vou abdicar da minha honra, nem dos meus valores, nem das minhas responsabilidades como presidente de todos os peruanos”, disse o presidente durante uma Mensagem à Nação.

Ele acrescentou que está disposto a “defender a verdade antes da comissão de lava Java e perante o Ministério Público, para o qual eu vou solicitar o levantamento do segredo bancário”, disse o presidente Kuczynski, que foi acompanhado pelo plenário. Conselho de Ministros e parlamentares da Banca de Peruanos por Kambio.

“Eu digo muito claramente: peço o levantamento do meu segredo bancário para que eles revelem tudo o que querem, e antes de todos os peruanos, e assumir todas as responsabilidades derivadas de minhas ações”, disse o presidente.

Ele também exortou todos os atores políticos a participar da defesa da democracia e do Estado de Direito. “Demorou muito tempo para recuperar essa democracia, e não a perderemos novamente”, sublinhou o chefe de Estado.

“Estou aqui para encará-lo, não corro nem escondo-me ou tenho motivos para fazê-lo, estou aqui porque merece uma explicação e tenho a obrigação de dar”, disse ele.

Desta forma, ele explicou que ontem membros da comissão Lava Jato apresentaram relatórios da empresa Odebrecht, referindo-se a supostos pagamentos por serviços que Kuczynski havia prestado em favor da referida empresa.

“Isso é falso, não nos deixe confundir, eu quero explicar o que está acontecendo”, disse o presidente ao se referir ao relatório tendencioso que menciona que ele teria recebido mais de US $ 4 milhões que foi mostrado ontem pela Comissão Lava Jato.

O chefe de Estado exibiu duas páginas completas de supostos depósitos e um terceiro com apenas sete deles e disse que esta informação se refere à empresa First Capital, “uma empresa com a qual eu já declarou não ter nenhum relacionamento como parceiro ou como executivo “.

Ele também mostrou um documento da constituição da referida empresa, de propriedade exclusiva do Sr. Gerardo Sepúlveda.

Desta forma, ele foi enfático em apontar que dos depósitos incluídos nessas páginas, o único que tem um relacionamento com o chefe de estado é aquele que ele mencionou no último sábado em uma estação de rádio nacional.

“É um serviço de assessoria financeira que prestei a esta empresa, de forma absolutamente legítima, enquanto não estava em qualquer cargo público”, observou.

Ele também comentou que apresentou uma nota fiscal à First Capital, na qual ele não tem relacionamento com a empresa Odebrecht. A renda foi declarada publicamente e o pagamento dos respectivos impostos foi feito, no ano de 2012, porque ele nunca teve a menor intenção de esconder nada.

“Em conclusão, de todos os depósitos dessas duas páginas, dos 4 milhões de dólares que supostamente receberiam, exceto para esta fatura, nenhuma, absolutamente nenhuma tem nada a ver comigo”, disse ele.

Em relação aos sete depósitos da empresa Westfield Capital, o presidente declarou claramente que é sua propriedade conforme estabelecido por sua declaração de interesses apresentada no início de 2017.

“Eu digo isso com total clareza, e isso é o que eu fiz na minha declaração de interesses em 31 de janeiro deste ano, se é minha propriedade, no entanto, nunca fui responsável pela administração ou administração da empresa quando eu ocupava uma escritório público “, disse ele.

Kuczynski disse que os detalhes dos pagamentos correspondem a contratos assinados e assinados pelo Sr. Sepúlveda. “Eu não tive nada a ver com a assinatura desses contratos, tudo foi tornado público, como você pode ver, não é minha assinatura, mas o Sr. Sepúlveda que aparece neste e em todos esses contratos”, disse o presidente.

Finalmente, Kuczynski afirmou que “é essencial que possamos explicar o que está acontecendo aqui: a corrupção sistêmica visa ameaçar nosso governo e nosso sistema democrático, é tão claro e tão sério”.

Presidente do Perú Pedro Pablo Kuczynski faz pronunciamento a nação. Foto Andres Valle/Presidencia Peru

Presidente do Perú Pedro Pablo Kuczynski faz pronunciamento a nação. Foto Juanca Guzman Negrini/Presidencia Peru

Presidente do Perú Pedro Pablo Kuczynski faz pronunciamento a nação. Foto Andres Valle/Presidencia Peru

Presidente do Perú Pedro Pablo Kuczynski faz pronunciamento a nação. Foto Juanca Guzman Negrini/Presidencia Peru

Presidente do Perú Pedro Pablo Kuczynski faz pronunciamento a nação. Foto Andres Valle/Presidencia Peru

Presidente do Perú Pedro Pablo Kuczynski faz pronunciamento a nação. Foto Juanca Guzman Negrini/Presidencia Peru