Produção de peixes cresce 10% no Paraná e mantém mercado abastecido

    15
    Foto: ANPr
    Foto: ANPr

    09/01/2017- Curitiba- PR, Brasil- A atividade da piscicultura no Paraná, em 2016, teve um crescimento de 10%, só não aumentando ainda mais sua produção em função das temperaturas baixas registradas no último inverno em todo o Estado. O frio, os largos períodos de tempo nublado e a baixa luminosidade fizeram com que as águas chegassem a registrar índices negativos, atrapalhando a produção das espécies. Mesmo assim a produção abastece todo o Paraná e mantém a comercialização de peixes em estados vizinhos, principalmente Santa Catarina, São Paulo e Rio de Janeiro.

    Foto: ANPr
    Foto: ANPr

    09/01/2017- Curitiba- PR, Brasil- O Paraná possui grande potencial para a exploração da piscicultura, atividade de criação de peixes em instalações adequadas, por conta da grande quantidade e qualidade das águas, das coleções de águas disponíveis em represas e das características favoráveis dos solos. A atividade faz parte do grupo de projetos considerados prioritários pela Secretaria de Estado da Agriculturaá para a promoção do desenvolvimento econômico da região.

    Foto: ANPr
    Foto: ANPr

    09/01/2017- Curitiba- PR, Brasil- O Oeste é o maior polo de criação de peixes no Estado, representando 69% de toda a produção, com atuação em 48 municípios, próximos a Toledo e Cascavel. Segundo dados do Departamento de Economia Rural (Deral), a região é responsável pela produção de 55,5 mil toneladas de peixe por ano, sendo que 96% são de tilápia. Atrás do oeste, está a região norte com 14% da produção e os outros 17% estão divididos entre o sul e noroeste do estado.

    Foto: ANPr
    Foto: ANPr

    09/01/2017- Curitiba- PR, Brasil- Entre as variedades cultivadas em todo Paraná, a tilápia representa 91% de toda a criação e está mais concentrada na região oeste. Já as espécies nativas compreendem 4,7% da produção e estão concentradas em maior número na região norte. Outras espécies cultivadas são as carpas e os bagres que representam 3,5% e 0,8 % da produção, e estão presentes no sul do Paraná.