Projeção alusiva aos 700 anos da morte de Dante Alighieri na Biblioteca Pública

Congresso iluminado – Setembro Verde Esperança
24 de setembro de 2021
Concerto Global Citizen Live 2021 no Central Park em NY
25 de setembro de 2021
47
Compartilhe
Projeção alusiva aos 700 anos da morte de Dante Alighieri na Biblioteca Pública
PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 24.09.2021 – No dia 24 de setembro (segunda-feira), a partir das 19h, o prédio da Biblioteca Pública do Estado (BPE), instituição da Secretaria de Estado da Cultura (Sedac), terá suas paredes cobertas pela projeção de imagens em homenagem a Dante Alighieri. A ação faz parte da programação alusiva aos 150 anos da Biblioteca e aos 700 anos da morte de Dante Alighieri, falecido em Ravena, na Itália, em 1321. Inicialmente marcada para esta segunda-feira (13/9), a atividade foi transferida em função da chuva.
Por meio de um show de mapping 3D, serão projetadas nas paredes da construção histórica imagens alusivas ao prédio e à obra de Dante na Biblioteca Pública, acompanhadas de texto de Rafael Bán Jacobsen, interpretado pelo ator Zé Adão Barbosa. A realização é da Associação dos Amigos da Biblioteca Pública (AABPERS), com fotografia e produção de Celso Chittolina Filho e execução das empresas WOC Group e Visual Áudio e Vídeo.
Dante Alighieri (Florença, 1265 – Ravena, 1321) é considerado um dos mais importantes escritores da literatura universal e do renascimento literário e o maior escritor de língua italiana. Sua obra mais relevante é o poema intitulado “A Divina Comédia”, escrito no século 14 e dividido em três partes: o Inferno, o Purgatório e o Paraíso.
A obra descreve uma viagem de Dante através dos três estágios. Primeiramente, é guiado pelo poeta romano Virgílio – símbolo da razão humana –, autor do poema épico Eneida, no Inferno e no Purgatório. Depois, no Paraíso, é levado pela mão de sua amada Beatriz – símbolo da graça divina.
A cultura de Dante na Biblioteca Pública
A BPE tem em Dante Alighieri uma das figuras mais importantes da concepção de seu prédio, criado em 1912. A obra do autor recebeu destaque na idealização do local, com referências presentes em pinturas, mobiliário, bustos, ornamentos e acervo.
Na fachada da Biblioteca, o busto de Dante aparece ao lado de outros nomes importantes do pensamento, formando o Calendário Positivista. Os bustos vieram da Europa, feitos por encomenda para a inauguração do prédio, em 7 de setembro de 1922. O calendário Positivista consistia na representação de ícones de cada área do pensamento e era dividido em 13 meses. Cada mês apresenta um patrono responsável pela evolução da humanidade. Dante Alighieri é a quarta figura no prédio, representando o mês da Epopeia Moderna.
Referências a Dante e à Divina Comédia
Ao entrar no prédio, bem no fundo do Salão da Referência e Acervo Geral, a guarnição esculturada em madeira escura da Caixa do Elevador “Otis” é um dos trabalhos do escultor italiano Giuseppe Gaudenzi, com relevos que representam episódios dos Cantos da “Divina Comédia”.
No segundo piso, a sala que abriga o Acervo do Rio Grande do Sul possui o busto em mármore de Beatriz, de autoria do professor Besfi. Beatriz foi a musa de Dante e a sua paixão imortalizada nas páginas da Divina Comédia.
No Salão Mourisco, sobre duas colunas de madeira representando monstros dantescos, estavam colocados dois bustos de bronze, em tamanho natural, de Homero e Dante. Hoje, as mesmas colunas contêm os bustos de Borges de Medeiros e Julio de Castilhos.
Já o Salão Egípcio apresenta dois medalhões ovais, com pinturas a óleo de Beatriz e de Dante e inscrições de trechos da Divina Comédia.
Obras Raras
Além das edições mais recentes disponíveis para empréstimo, a BPE possui três edições especiais da Divina Comédia, no setor de Obras Raras: La divina commedia, de 1921, edição comemorativa, restrita a 1000 exemplares; O Inferno: Poema em 34 cantos, ilustrado por Gustavo Doré, de 1887; e La divina commedia di Dante Alighieri, em miniatura de 1911.
A Biblioteca Pública representa, em seu conjunto, um dos mais expressivos tributos ao escritor italiano. Fotos: Gustavo Mansur/ Palácio Piratini