Telescópio espacial Hubble capturou imagens de 58 galáxias distantes que nunca haviam sido vistas

John Kerry recebe ministro da Coreia do Sul, Yun Byung-se
8 de janeiro de 2014
Foto: Valter Campanato / ABr (25/06/2013)
Joaquim Barbosa sai de férias sem assinar mandado de prisão de João Paulo Cunha
8 de janeiro de 2014
656
Compartilhe
Foto: NASA/ESA/Illingworth,Oesch,UC-SC/Bouwens, Labb,Leiden U

Foto: NASA/ESA/Illingworth,Oesch,UC-SC/Bouwens, Labb,Leiden U

Foto: NASA/ESA/Illingworth,Oesch,UC-SC/Bouwens, Labb,Leiden U

Foto: NASA/ESA/Illingworth,Oesch,UC-SC/Bouwens, Labb,Leiden U

Esta composição de imagens do Hubble foi capturada utilizando infravermelho.

Foto: NASA/ESA/B.Siana, A.Alavi, UC Riverside

Foto: NASA/ESA/B.Siana, A.Alavi, UC Riverside

Astrônomos usando poder de ampliação do Hubble observam o aglomerado de galáxias gigante Abell 1689, para encontrar 58 galáxias remotas. Elas são as menores e mais numerosas galáxias jamais vistas no universo remoto.

Foto: NASA/ESA/J.Lotz, M.Mountain, A.Koekemoer/STScI HFF Team

Foto: NASA/ESA/J.Lotz, M.Mountain, A.Koekemoer/STScI HFF Team

Esta imagem, capturada pelo telescópio Hubble, do aglomerado de galáxias Abell 2744 (em primeiro plano) é o mais profundo de todos os tempos de qualquer aglomerado de galáxias. Ele mostra algumas das galáxias mais fracas e mais jovens já detectado no espaço.