Uma cavidade gigantesca – dois terços da área de Manhattan e quase 300 metros de altura – crescendo no fundo do Glaciar Thwaites, na Antártida Ocidental

Abertura da Reunião do Conselho Nacional de secretários de Justiça, Cidadania, Direitos Humanos e Administração Penitenciária.Consej/
31 de janeiro de 2019
O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e o ministro da Energia, Yuval Steinitz, por ocasião da chegada da parte inferior da plataforma de gás Leviathan
31 de janeiro de 2019
447
Compartilhe

Uma cavidade gigantesca – dois terços da área de Manhattan e quase 300 metros de altura – crescendo no fundo do Glaciar Thwaites, na Antártida Ocidental, é uma das várias descobertas perturbadoras relatadas em um novo estudo liderado pela NASA sobre a geleira em desintegração. As descobertas destacam a necessidade de observações detalhadas do lado de baixo das geleiras antárticas para calcular a rapidez com que o nível global do mar aumentará em resposta à mudança climática.

Os pesquisadores esperavam encontrar algumas lacunas entre o gelo e o leito de rocha no fundo de Thwaites, onde a água do oceano poderia fluir e derreter a geleira a partir de baixo. O tamanho e a taxa de crescimento explosivo do novo buraco, no entanto, os surpreenderam. É grande o suficiente para conter 14 bilhões de toneladas de gelo, e a maior parte desse gelo derreteu nos últimos três anos.

Credits: NASA/OIB/Jeremy Harbeck